Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Calendário

Fevereiro 2020

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Misterwhat

Comentários recentes

  • fl

    "construtiva mente" diz olá e cumprimenta "Tempo n...

  • estrela

    Estes eclipses são belos mesmo

  • Tempo no Algarve

    Os horários mantém-se os mesmos.

  • Anónimo

    Bom dia. E atualizações? 2019?

  • Rafaela

    Post muito bom, concordo, a melhor passagem de ano...

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search

23
Fev20

3375: Volta ao Algarve 2020 - Classificação Geral

Tempo no Algarve

1ª Etapa: Portimão - Lagos (195.6 kms)

 

O campeão da Holanda de fundo, Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step), ganhou hoje a primeira etapa da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, uma viagem de 195,6 quilómetros, entre Portimão e Lagos.
 
 
A tirada teve animação logo desde o quilómetro 5, quando um trio resolveu partir à aventura. Diego López (Fundación-Orbea), Alvaro Trueba (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel) e Pedro Paulinho (Efapel) foram os primeiros fugitivos desta edição da corrida, mas o pelotão manteve-os sempre a uma distância controlável. O corredor da equipa basca aproveitou a iniciativa para garantir a subida ao pódio como dono da Camisola Azul Lusíadas, de melhor trepador.
 
 
O trabalho das equipas com interesse numa chegada ao sprint acabou com a fuga a 32 quilómetros do final. Quando se esperava uma aproximação calma a Lagos, alguns nomes grandes do pelotão tentaram movimentar a corrida. Philippe Gilbert e Tim Wellens (Lotto Soudal), Remco Evevenpoel (Deceuninck-Quick-Step) e Vincenzo Nibali (Trek-Segafredo) estiveram entre os atacantes, mas o pelotão conseguiu chegar compacto a Lagos.
 
 
No sprint perante milhares de espectadores, Fabio Jakobsen venceu pelo segundo ano consecutivo em Lagos, beneficiando de uma melhor leitura de corrida do que os rivais. O holandês protelou o arranque final para perto do risco de chegada e quando “disparou” não deu a menor hipótese à forte concorrência. Nas posições imediatas, com as mesmas 4h55m37s do vencedor, colocou-se um desfile de estrelas do sprint mundial, Elia Viviani (Cofidis), Matteo Trentin (CCC Team) e Alexander Kristoff (UAE Team Emirates).
 
 
Fabio Jakobsen é o dono da Camisola Amarela Visit Algarve, comandando a geral individual, com o mesmo tempo do restante pelotão. O holandês é também o proprietário da Camisola Vermelha Cofidis, da classificação geral por pontos. O melhor jovem, portador da Camisola Branca IPDJ, é o colombiano Juan Fernando Calle (Caja Rural-Seguros RGA). A Israel Start-Up Nation está no topo da geral coletiva.
 
 
“A corrida não foi a mais dura, mas quando Tim Wellens atacou, esforcei-me para me manter no grupo. Nos últimos 20 quilómetros, o ritmo nunca desceu e fiquei contente por a equipa me ter colocado numa boa posição aqui em Lagos. Os últimos 700 metros foram em linha reta e sabia que se me sentisse bem poderia ganhar. Eu adoro Lagos e estou feliz com esta vitória. Sexta-feira haverá, provavelmente, outra chegada ao sprint. Na equipa temos alguns corredores para as etapas de montanha e claro que o Remco [Evenpoel], com o contrarelógio, vai tentar fazer uma boa classificação geral”, afirmou Fabio Jakobsen após a etapa.
 
 
As primeiras decisões na luta pela classificação geral são esperadas para esta quinta-feira, dia da segunda etapa, 183,9 quilómetros, entre Sagres (12h10) e o alto da Fóia (17h00). Os 7,5 quilómetros da subida final, de primeira categoria, são antecedidos pelos prémios de montanha de Marmelete (3.ª cat., km 48,9, 13h29), Alferce (3.ª cat., km 162,3, 16h11) e Pomba (2.ª cat. Km 170,2, 16h23). O encadeamento da Pomba com a Fóia poderá ser um convite a ataques de longe, visando distanciar os contrarrelogistas.
 
 
Além dos prémios de montanha, a segunda etapa será animada pelas metas volantes de Aljezur (km 41,6, 13h19) e Monchique (km 176, 16h31).
 
 

Classificação geral:

  1. Fábio Jakobsen (Deceuninck-Quick Step) 4h35.37
  2. Elia Viviani (Cofidis) m.t.
  3. Matteo Trentin (CCC) m.t.
  4. Alexander Kristoff (UAE Team-Emirate) m.t.
  5. Jon Aberasturi Izaga (Caja Rural) m.t.
  6. Cees Bol (Sunweb) m.t.
  7. Roger Kluge (Lotto Soudal) m.t.
  8. David Cimolai (Israel Start-Up Nation) m.t.
  9. Daniel Hoelgaard (Uno-X)
  10. Edward Theuns (Trek-Segafredo) m.t.

 

2ª Etapa: Sagres - Alto da Fóia (183.9 Kms)

 

O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) conquistou hoje a Camisola Amarela da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, depois de triunfar na segunda etapa, 183,9 quilómetros, entre Sagres e o alto da Fóia, onde a meta coincidia com um prémio de montanha de primeira categoria.

 

O prodígio, 20 anos, fez uma corrida perfeita, auxiliado, nos momentos decisivos, pelo jovem português João Almeida, que impôs o ritmo no grupo dos favoritos nos derradeiros dois quilómetros, garantindo que o chefe-de-fila tivesse condições para atacar com a meta à vista.

 

Depois de a UAE Team Emirates ter imposto um ritmo forte e de a Astana Pro Team ter tentado partir do grupo dos candidatos, Simon Geschke (CCC Team) desferiu um ataque a 2500 metros da chegada, anulado por João Almeida. O corredor das Caldas da Rainha manteve uma pedalada forte, impedindo novas movimentações, até que, a 300 metros do fim, Remco Evenepoel atacou para a vitória.

 

O belga cortou o risco com 4h46m38s, batendo por uma nesga o campeão da Alemanha de fundo Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe), que recuperou e quase conseguia vencer a tirada. O terceiro, a 2 segundos, foi o irlandês Daniel Martin (Israel Start-Up Nation).

 

Tal como se desejava, para manter o interesse da corrida até final, a luta pela Camisola Amarela Visit Algarve será acesa, com pouco mais de meio minuto a separar o primeiro do 15.º da geral. No topo está Remco Evenepoel, com o mesmo tempo de Maximilian Schachmann. Rui Costa (UAE Team Emirates), quarto na etapa, é o terceiro da geral, a 2 segundos do comandante, tal como Daniel Martin e Tim Wellens (Lotto Soudal), quarto e quinto, respetivamente.

 

Além da camisola amarela, Remco Evenepoel é dono da Camisola Branca IPDJ, de melhor jovem, e da Camisola Azul Lusíadas, de melhor trepador. Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step) segurou a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos. Por equipas comanda a Astana Pro Team.

 

“Sabíamos que os últimos 1500 metros da subida poderiam ser decisivos, por causa do vento, e por isso a nossa missão era aguentar o ritmo da subida e procurar, na parte final, uma oportunidade para atacar. A equipa protegeu-me bem, o meu colega João Almeida deixou-me em boa posição e ataquei confiante nos últimos 300 metros. Vencer deixa-nos felizes mas, na vida, há coisas mais importantes. O filho do meu colega de equipa Nikolas Maes morreu recentemente e, por isso, a minha vitória é-lhe inteiramente dedicada. A nossa equipa está unida e é solidária. A corrida amanhã tem nova oportunidade para o Fabio Jakobsen e esse é agora o nosso próximo objetivo antes do Malhão e do contrarrelógio final”, descreve Remco Evenepoel.

 

Antes das decisões na montanha, mostraram-se Michael Schar (CCC Team), Casper Pedersen (Team Sunweb) e Dries de Bondt (Alpecin-Fenix), que formaram a fuga do dia, logo ao quilómetro 12. O pelotão deu-lhes rédea curta, não deixando a diferença chegar aos três minutos.

 

A W52-FC Porto foi a responsável pelo ritmo do grupo ao longo da maior parte da jornada, mas a UAE Team Emirates assumiu a perseguição, com uma pedalada mais rija, à entrada dos 40 quilómetros finais, deixando claro que a fuga estaria condenada, o que se confirmaria a 20 quilómetros da meta.

 

A UAE Team Emirates prosseguiu o endurecimento na subida de Pomba, curta, mas muito inclinada, reduzindo drasticamente o pelotão, fazendo a primeira seleção para o espectáculo que se veria na escalada ao ponto mais alto do Algarve.

 

Após a montanha, amanhã espera-se que o protagonismo regresse aos velocistas, na viagem mais longa da corrida. A terceira etapa vai ligar Faro (11h50) a Tavira (17h00, ao longo de 201,9 quilómetros. Os corredores vão encontrar metas volantes em São Brás de Alportel (km 18,4, 12h31), Alcoutim (km 64,9, 15h20) e Vila Nova de Cacela (km 190, 16h36) e dois prémios de montanha de terceira categoria, Portela da Corcha (63,4, 13h35) e Cachopo (km 78,3, 13h56).

 

Classificação da 2.ª etapa - top-10:
 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 4:46.38 horas. 
 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), m.t.
 3. Daniel Martin, Irl (Israel Start-Up Nation), a 02 segundos
 4. Rui Costa, Por (UAE Emirates), m.t.
 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), m.t.
 6. Miguel Angel López, Col (Astana), a 05
 7. Frederico Figueiredo, Por (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel), a 08
 8. Vincenzo Nibali, Ita (Trek-Segafredo), m.t.
 9. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), m.t.
10. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), m.t.
 

Classificação geral:
 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 9:42.15 horas. 
 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), m.t.
 3. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 02 segundos
 4. Daniel Martin, Irl (Israel Start-Up Nation), m.t.
 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), m.t.
 6. Miguel Angel López, Col (Astana), a 05
 7. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), a 08
 8. Vincenzo Nibali, Ita (Trek-Segafredo), m.t.
 9. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), m.t.
10. Frederico Figueiredo, Por (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel), m.t.

 

3ª Etapa: Faro - Tavira (201.9 kms)

 

O holandês Cees Bol (Team Sunweb) ganhou hoje a terceira etapa da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, impondo-se com um sprint poderoso, ao fim de 201,9 quilómetros, entre Faro e Tavira. O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) mantém a Camisola Amarela Visit Algarve.
 
 
Na etapa mais longa da competição, Gotzon Martín (Fundación-Orbea), Aleksandr Grigorev (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel) e Tiago Antunes (Efapel) não demonstraram medo da distância e saíram do pelotão com apenas 3 quilómetros percorridos. O pelotão autorizou aos três o papel de animadores da tirada, mas manteve-os a uma distância recuperável. O fim da aventura aconteceria a 19 quilómetros da chegada.
 
 
Cumpriu-se o guião esperado. Os milhares de espectadores que se colocaram na reta da meta assistiram a um empolgante sprint. Cees Bol não deu a menor hipótese à concorrência. Foi o primeiro a arrancar, a 200 metros da meta, e não permitiu que os rivais lhe retirassem o triunfo.
 
 
O velocista da Team Sunweb cortou a meta com 5h00m51s, relegando o italiano Sacha Modolo (Alpecin-Fenix) para a segunda posição e o holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step) para o terceiro posto.
 
 
“Estou super feliz com esta vitória. Vencer aqui era um objetivo da equipa. Assumimos a corrida na parte final e os meus colegas da Team Sunweb foram excecionais a colocarem-me numa boa posição para o sprint. Não foi uma etapa stressante, antes pelo contrário, até deu para aproveitar o sol. É a minha primeira corrida do ano e vencer dá-me confiança para os próximos objetivos. Na próxima semana correrei a Kuurne-Bruxelles-Kurne e, por isso, ganhar aqui é um sinal de que me encontro bem”, afirmou o vencedor do dia.
 
 
Foi uma jornada de transição na luta pela classificação geral. Remco Evenepoel continua a vestir a Camisola Amarela Visit Algarve, sendo seguido pelo alemão Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe), com o mesmo tempo. O irlandês Daniel Martin (Israel Start-Up Nation) é o terceiro, a 2 segundos, a mesma desvantagem registada por Rui Costa (UAE Team Emirates), quarto, e Tim Wellens (Lotto Soudal), quinto.
 
 
Remco Evenepoel é também o dono das Camisolas Azul Lusíadas, da montanha, e Branca IPDJ, da juventude. O colega de equipa Fabio Jakobsen veste a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos. A única classificação que escapa à Deceuninck-Quick-Step é a coletiva, encimada pela Astana Pro Team.
 
 
“Foi um dia para sprinters, por isso, não foi decisivo para mim. Era importante preservar a camisola amarela e tentar colocar o Fabio [Jakobsen] para discutir a etapa. Na parte final, nos últimos três quilómetros, optei por não correr riscos e preservei-me no pelotão. Amanhã, no Malhão, a corrida será diferente e apenas teremos que defender a camisola. Nenhum dos rivais da classificação geral poderá fugir, essa será a nossa tarefa: defender a liderança”, antecipa o primeiro da geral.
 
 
A quarta etapa, a disputar neste sábado, será a melhor oportunidade para tentar destronar Remco Evenepoel do topo da classificação geral. A tirada, com 169,7 quilómetros, entre Albufeira e o alto do Malhão, no concelho de Loulé, é o ensejo para os trepadores distanciarem Evenepoel, campeão europeu de contrarrelógio.
 
 
A viagem começa, na Câmara de Albufeira, às 12h30, prevendo-se que termine cerca das 17h00, na icónica montanha de segunda categoria. Antes da subida decisiva, os corredores vão ultrapassar as subidas de terceira categoria na Picota (km 66, 14h14), do Barranco do Velho (km 104, 15h08), e Alte (km 132,2, 15h48). A primeira passagem no Malhão, a 24 quilómetros do fim, acontece às 16h08.
 
 

Classificação da 3.ª etapa:

 1. Cees Bol, Hol (Sunweb), 5:00.51 horas. 
 2. Sacha Modolo, Ita (Alpecin-Fenix), m.t.
 3. Fabio Jakobsen, Hol (Deceuninck-QuickStep), m.t.
 4. Alexander Kristoff, Nor (UAE Emirates), m.t.
 5. Daniel Hoelgaard, Nor (Uno-X Norwegian), m.t.
 6. Ryan Mullen, Irl (Trek-Segafredo), m.t.
 7. Elia Viviani, Ita (Cofidis), m.t.
 8. Roger Kluge, Ale (Lotto Soudal), m.t.
 9. Jon Aberasturi, Esp (Caja Rural), m.t.
10. Tom Devriendt, Bel (Circus-Wanty Gobert), m.t.

 

- Classificação geral:


 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 14:43.06 horas. 
 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), m.t.
 3. Daniel Martin, Irl (Israel Start-Up Nation), a 02 segundos.
 4. Rui Costa, Por (UAE Emirates), m.t.
 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), m.t.
 6. Miguel Angel López, Col (Astana), a 05
 7. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), a 08
 8. Vincenzo Nibali, Ita (Trek-Segafredo), m.t.
 9. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), m.t.
10. Frederico Figueiredo, Por (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel), m.t.

 

4ª Etapa: Albufeira - Alto do Malhão (169.7 kms)

 

O colombiano Miguel Ángel López (Astana Pro Team) conquistou hoje a quarta etapa da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, no alto do Malhão, Loulé, depois de percorridos 169,7 quilómetros, desde Albufeira. O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) resistiu às investidas dos adversários e manteve a Camisola Amarela Visit Algarve, em igualdade de tempo com Daniel Martin (Israel Start-Up Nation) e Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe), segundo e terceiro, respetivamente.

 

A esperada etapa do Malhão não desiludiu, proporcionando emoção e espectáculo aos milhares de espetadores que se espalharam pela montanha louletana. Um grupo com cerca de 30 unidades entrou na subida final, durante a qual se sucederam os esticões. Até aos 500 metros finais nenhuma iniciativa resultou, mas, nessa altura, Miguel Ángel López fez o ataque decisivo.

 

O colombiano arrancou com confiança. O irlandês Daniel Martin tentou responder, mas o melhor que conseguiu foi a segunda posição, a 2 segundos. Remco Evenepoel sofreu para chegar no terceiro lugar, a 4 segundos do vencedor.

 

“Tive boas sensações na subida do segundo dia [Fóia] e contava estar bem para discutir esta etapa, apesar de ser a minha primeira corrida da temporada. Estou satisfeito com a vitória e quero dedicá-la à minha família. Os meus companheiros de equipa protegeram-me do vento durante toda a etapa e conseguiram posicionar-me bem à entrada da subida final. Ataquei de longe para me isolar e consegui uma vantagem importante que foi suficiente para ganhar. O triunfo aqui é um sinal positivo. No contrarrelógio vou dar o meu melhor para uma boa classificação. Depois do Algarve os próximos objetivos serão o Paris-Nice e a Volta a Catalunha”, revelou o vencedor do dia.

 

Com estes resultados, a Volta ao Algarve Cofidis ficou ainda mais emocionante, chegando à última etapa com os três primeiros da classificação geral empatados em tempo. Remco Evenepoel, Daniel Martin e Maximilian Schachmann partirão sem diferenças para o exercício individual de Lagoa. Mas a concorrência também não está longe. Miguel Ángel López é quarto, a 1 segundo, Rui Costa (UAE Team Emirates) é quinto, a 3. Seguem-se Amaro Antunes (W52-FC Porto) e Bauke Mollema (Trek-Segafredo), a 18.

 

“Não foi um dia fácil, antes pelo contrário. A aproximação ao final foi algo nervosa, mas a minha missão era clara. Vigiar os adversários mais perigosos na classificação geral e conservar a camisola amarela. Perdi alguns segundos para o Miguel [Ángel López] o que me levará a encarar o contrarrelógio de amanhã ainda com mais motivação”, promete o chefe-de-fila da Deceuninck-Quick-Step.

 

Definidas parecem estar as classificações dos pontos e da juventude, com Remco Evenepoel a ser dono da Camisola Branca IPDJ e o colega de equipa Fabio Jakobsen a vestir a Camisola Vermelha Cofidis desde o primeiro dia.

 

A etapa assistiu também à luta pela Camisola Azul Lusíadas, de melhor trepador. Essa disputa aconteceu na fuga do dia, por intermédio de Tiago Antunes (Efapel) e Dries de Bondt, que saíram do pelotão ao quilómetro 12, na companhia de David González (Caja Rural-Seguros RGA), Tom Devriendt (Circus-Wanty Gobert), Daniel Hoelgaard (Uno-X Norwegian Development Team), Luís Mendonça (Efapel), Rafael Lourenço (Kelly-InOutBuild-UDO), Daniel Freitas (Miranda-Mortágua) e João Rodrigues (W52-FC Porto). O belga foi mais forte e só tem de concluir a última etapa para levar a Camisola Azul Lusíadas para casa.

 

O concelho de Lagoa recebe, neste domingo, o desfecho da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, sendo palco do contrarrelógio individual de 20,3 quilómetros, que determinará o vencedor de uma corrida emocionante e equilibrada como não há memória.

 

Top-10 da 4.ª etapa:

 

1. Miguel Angel Lopez (Astana) 4.16:25

2. Dan Martin (Israel Start-Up) +00:02

3. Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick Step) +00:04

4. Maximilian Schachmann (Bora-Hansgrohe) m.t.         

5. Rui Costa (Team Emirates) +00:05

6. Simon Geschke (CCC) +00:14

7. Amaro Antunes (W52- FC Porto) m.t.              

8. Bauke Mollema (Trek-Segafredo) m.t.            

9. Jan Polanc (Team Emirates) +00:19

10. Tim Wellens (Lotto Soudal) +00:21

 

Classificação geral:

 

1. Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick Step) 18.59:35

2. Daniel Martin (Israel Start-Up) m.t.

3. Maximilian Schachmann (Bora-Hansgrohe) m.t.

4. Miguel Angel Lopez Moreno (Astana) +00:01

5. Rui Costa (Team Emirates) +00:03

6. Amaro Antunes (W52/FC Porto) +00:18

7. Bauke Mollema (Trek-Segafredo) m.t.

8. Tim Wellens (Lotto Soudal) +00:19

9 .Simon Geschke (CCC) +00:24

10. Frederico Figueiredo (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel) +00:31

 

5ª Etapa: Lagoa - Lagoa (20.3 Kms)

 

O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) conquistou hoje a 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, impondo-se no contrarrelógio final, um exercício de 20,3 quilómetros, disputado em Lagoa.

 

O corredor de 20 anos marcou o melhor registo de sempre neste percurso, técnico e a exigir potência para responder da melhor forma às contantes mudanças de ritmo provocadas pelas mudanças de direção.

 

O belga pedalou à média de 50,504 km/h para fechar os 20,3 quilómetros em 24m07s – o anterior melhor tempo era de 24m09s e foi estabelecido por Geraint Thomas, em 2018. O segundo na etapa de hoje foi o campeão mundial da especialidade, Rohan Dennis (Team INEOS), a 10 segundos do vencedor. O vencedor do contrarrelógio do ano passado, o suíço Stefan Küng (Groupama-FDJ), fechou o pódio da jornada, a 19 segundos.

 

A corrida chegou equilibrada ao último dia, mas a chamada “prova da verdade” colocou todos no seu lugar. Remco Evenepoel sagrou-se, assim, o vencedor indiscutível da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, sucedendo a outro jovem prodígio, Tadej Pogačar, no palmarés da corrida.

 

Remco Evenepoel concluiu os cinco dias de corrida em 19h23m42s, menos 38 segundos do que o alemão Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe) e menos 39 do que o colombiano Miguel Ángel López (Astana Pro Team), segundo e terceiro, respetivamente.

 

“Dei o máximo desde a partida. Foram 20 quilómetros de esforço, mas tendo reconhecido o percurso, sabia de antemão os pontos nos quais poderia recuperar. A minha técnica com a bicicleta de contrarrelógio é bastante boa e arrisquei bastante a curvar, o percurso era muito técnico. Segundo me disse o meu colega de equipa Yves Lampaert também estava mais vento do que no ano passado. Estou feliz, é um sonho bater o campeão do mundo. Gostei de correr no Algarve, a meteorologia é agradável, as estradas são excelentes e tivemos ainda dois dias importante de esforço na montanha”, salientou Evenepoel.

 

Rui Costa (UAE Team Emirates), quarto classificado, a 56 segundos do vencedor, foi o melhor português na classificação geral. Mais dois corredores nacionais conseguiram fechar dentro dos dez melhores, João Almeida (Deceuninck-Quick-Step), nono, a 1m40s, e Amaro Antunes (W52-FC Porto), décimo, a 1m57s.

 

Remco Evenepoel também ganhou a Camisola Branca IPDJ de melhor jovem. Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step) conquistou a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos, e Dries de Bondt (Alpecin-Fenix) leva para casa a Camisola Azul Lusíadas, de rei da montanha. Por equipas impôs-se a Team INEOS.

 

Classificação da 5.ª etapa:

 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 24.07 minutos.

  (média: 50,504 km/h).

 2. Rohan Dennis, Aus (INEOS), a 10 segundos.

 3. Stefan Küng, Sui (Groupama-FDJ), a 19.

 4. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), a 38.

 5. Miguel Angel López, Col (Astana), m.t.

 6. Michal Kwiatkowski, Pol (INEOS), m.t.

 7. Patrick Bevin, Nlz (CCC), m.t.

 8. Yves Lampaert, Bel (Deceuninck-QuickStep), a 46.

 9. Nils Politt, Ale (Israel Start-Up Nation), a 47.

10. Mads Würtz Schmidt, Din (Israel Start-Up Nation), a 48.

 

Classificação geral final:

 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 19:23.42 horas.

 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), a 38 segundos.

 3. Miguel Angel López, Col (Astana), a 39.

 4. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 56.

 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), a 1:17 minutos.

 6. Simon Geschke, Ale (CCC), a 1:18.

 7. Lennard Kämna, Ale (Bora-hansgrohe), a 1:26.

 8. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), a 1:31.

 9. João Almeida, Por (Deceuninck-QuickStep), a 1:40.

10. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), a 1:57.

 

Classificação por pontos:

 1. Fabio Jakobsen, Hol (Deceuninck-QuickStep), 41 pontos.

 2. Cees Bol, Hol (Sunweb), 33.

 3. Alexander Kristoff, Nor (UAE Emirates), 26.

 

Classificação da montanha:

 1. Dries de Bondt, Bel (Alpecin-Fenix), 17 pontos.

 2. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 15.

 3. Tiago Antunes, Por (Efapel), 14.

 

Classificação da juventude:

 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep).

 2. João Almeida, Por (Deceuninck-QuickStep).

 3. Ilan van Wilder, Bel (Sunweb).

 

Classificação por equipas:

 1. INEOS, GB, 58:19.43

 2. UAE Emirates, EAU, a 25 segundos.

 3. CCC, Pol, a 1:51 minutos.

 

Fonte: Volta ao Algarve

Calendário

Fevereiro 2020

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Misterwhat

Comentários recentes

  • fl

    "construtiva mente" diz olá e cumprimenta "Tempo n...

  • estrela

    Estes eclipses são belos mesmo

  • Tempo no Algarve

    Os horários mantém-se os mesmos.

  • Anónimo

    Bom dia. E atualizações? 2019?

  • Rafaela

    Post muito bom, concordo, a melhor passagem de ano...

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search