Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Calendário

Fevereiro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Misterwhat

Comentários recentes

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search

19
Fev17

2698: Volta ao Algarve 2017 - Classificação Geral

Tempo no Algarve

O colombiano Fernando Gaviria (Quick-Step Floors) venceu hoje a primeira etapa da 43.ª Volta ao Algarve, uma ligação de 182,9 quilómetros, que arrancou em Albufeira e terminou, ao sprint, em Lagos.

 

O terceiro triunfo da temporada de Fernando Gaviria foi construído com o poderio físico do colombiano e com trabalho coletivo. Já nas últimas centenas de metros, Massimiliano Richeze, colega de equipa, atacou, destabilizando o trabalho das restantes formações. Com esta movimentação Fernando Gaviria teve apenas de concentrar-se nos rivais mais diretos, disparando para o triunfo, nos derradeiros 100 metros.

 

Fernando Gaviria impôs-se diante de outros dois velocistas de referência do pelotão internacional, o alemão André Greipel (Lotto Soudal) e o francês Nacer Bouhanni (Cofidis), segundo e terceiro.

 

A vitória em Lagos, perante uma multidão entusiasta, deixou Fernando Gaviria em posse da Camisola Amarela Turismo do Algarve. Partirá para a etapa de quinta-feira com 1 segundo de vantagem sobre o alemão Christoph Pfingsten (Bora-hansgrohe) e com 4 segundos sobre outro germânico, André Greipel.

 

A etapa começou em Albufeira, perante milhares de pessoas que quiseram incentivar os corredores à partida para a competição. E cinco homens não esperaram muito para retribuir o calor popular. Christoph Pfingsten (Bora-hansgrohe), Justin Oien (Caja Rural-Seguros RGA), Brian van Goethem (Roompot-Nederlandse Loterij), Adam de Vos (Rally Cycling) e João Benta (RP-Boavista) saíram do pelotão com 2,5 quilómetros percorridos.

 

Adam de Vos foi o primeiro a passar na única montanha do dia, na Picota, ao quilómetro 22. Garantiu, assim, a posse da Camisola Azul Liberty Seguros, que premeia o melhor trepador. E, ato contínuo, desinteressou-se da fuga, aguardando pelo pelotão.

 

Os restantes aventureiros mantiveram-se em cabeça de corrida, chegando a ter mais de sete minutos e meio de vantagem sobre o grande grupo, mas não resistiram à perseguição movida pelas equipas com ambição de ganhar ao sprint. A 25 quilómetros da meta morreu a fuga a consolidou-se a convicção de que seriam os velocistas a merecer os holofotes da glória no final da jornada.

 

O primeiro lugar de Fernando Gaviria assegurou ao colombiano três lideranças. Além da Camisola Amarela Turismo do Algarve, é o dono da Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos, e da Camisola Branca Sicasal, da Juventude. A Quick-Step Floors comanda por equipas.

 

“É a minha terceira vitória do ano, a primeira desta temporada na Europa. É importante começar a ganhar cedo no ano, dá-nos confiança para as próximas corridas. Foi um sprint longo e algo confuso diante de grandes especialistas. Fico feliz por dar mais uma vitória à minha equipa e vestir de amarelo na Volta ao Algarve. O meu próximo objetivo são os Campeonatos Nacionais na Colômbia. Não digo ganhar, mas espero discutir a vitória na quarta etapa da Volta ao Algarve”, afirmou Fernando Gaviria.

 

“O objetivo da etapa passava por discutir a camisola da montanha e as metas volantes. É a minha segunda corrida do ano, mas as sensações eram boas e a fuga teve sucesso. Depois de ter vestir a camisola naturalmente que a gostava de a defender por mais um dia, mas será muito difícil tendo em conta as dificuldades de montanha e o nível dos adversários”, disse Adam de Vos, antecipando o que se passará na jornada seguinte.

 

A segunda etapa, a disputar nesta quinta-feira, deverá modificar as classificações. Os ciclistas vão percorrer 189,3 quilómetros, entre Lagoa e o alto da Fóia, em Monchique, com a meta a coincidir com uma contagem de montanha de primeira categoria. Será o primeiro teste à forma dos candidatos, permitindo perceber quais são os corredores com capacidade para discutir a geral.

 

Classificações/Results
1.ª Etapa/1st Stage: Albufeira – Lagos, 182,9 km
1.º Fernando Gaviria (Quick-Step Floors), 4h28m31s (40,869 km/h)
2.º André Greipel (Lotto Soudal), mt
3.º Nacer Bouhanni (Cofidis), mt
4.º Dylan Groenewegen (Team Lotto NL-Jumbo), mt
5.º John Degenkolb (Trek-Segafredo), mt
6.º Baptiste Planckaert (Team Katusha Alpecin), mt
7.º Matteo Trentin (Quick-Step Floors), mt
8.º Andrea Pasqualon (Wanty-Groupe Gobert), mt
9.º Lukasz Wisniowski (Team Sky), mt
10.º Edvald Boasson Hagen (Team Dimension Data), mt

 

Geral/Overall
1.º Fernando Gaviria (Quick-Step Floors), 4h28m21s
2.º Christoph Pfingsten (Bora-hansgrohe), a 1s
3.º André Greipel (Lotto Soudal), a 4s
4.º Justin Oien (Caja Rural-Seguros RGA), mt
5.º Nacer Bouhanni (Cofidis), a 6s
6.º João Benta (RP-Boavista), a 8s
7.º Dylan Groenewegen (Team Lotto NL-Jumbo), a 10s
8.º John Degenkolb (Trek-Segafredo), mt
9.º Baptiste Planckaert (Team Katusha Alpecin), mt
10.º Matteo Trentin (Quick-Step Floors), mt

 

Fonte: Volta ao Algarve

 

2ª etapa: Lagoa - Alto da Fóia (189.3 kms(

 

O irlandês Daniel Martin (Quick-Step Floors) venceu hoje a segunda etapa da Volta ao Algarve, 189,3 quilómetros entre Lagoa e o alto da Fóia, ascendendo ao comando da geral individual.

 

A tirada decidiu-se nos derradeiros 9 quilómetros, a escalada ao ponto mais alto do Algarve. A Team Katusha Alpecin impôs o ritmo na aproximação à fase mais dura da jornada, mas foi a Quick-Step Floors que endureceu verdadeiramente a corrida, na fase mais dura da subida final, o primeiro quilómetro de ascenção.

 

Zdenek Stybar e Enric Mas dinamitaram o que restava do pelotão, levando na roda o colega de equipa Daniel Martin. O esloveno Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo) e o polaco Michal Kwiatkowski (Team Sky) tiveram de responder às acelerações do irlandês. Roglic conseguiu aguentar o ritmo de Daniel Martin e tentou mesmo deixar o rival para trás.

 

A luta pela etapa acabaria por resumir-se ao duelo entre Daniel Martin e Primoz Roglic, que levaram o mano a mano até à linha final. Daniel Martin arrancou a 200 metros e conseguiu bater o rival, que cortou a meta com o mesmo tempo. Michal Kwiatkowski controlou os danos e alcançou a Fóia na terceira posição.

 

A Camisola Amarela Turismo do Algarve manteve-se na Quick-Step Floors, mas mudou do corpo de Fernando Gaviria para o de Daniel Martin. O irlandês dispõe de 4 segundos de vantagem sobre Primoz Roglic e de 26 segundos à melhor sobre Michal Kwiatkowski.

 

“Rodamos na frente durante todo o dia, todos acreditaram nas minhas possibilidades. Estou feliz pela equipa. Roglic esteve bastante forte em Valência e sabia que seria um dos favoritos para a classificação geral. Ataquei-o porque não quis colaborar comigo, mas no último quilometro sabia que a minha experiência me seria útil. Farei o melhor do que puder no contrarrelógio e veremos como correrá. Agora quero desfrutar desta vitória”, afirmou Daniel Martin, antes da consagração no pódio.

 

O primeiro embate mostrou a supremacia dos três primeiros, mas deixou boas indicações de dois contrarrelogistas, o campeão europeu da especialidade, Jonathan Castroviejo (Movistar Team), que é o nono da geral, e do compatriota Luis León Sánchez (Astana), sétimo, ambos a 45 segundos do comandante.

 

As equipas portuguesas também deram boas indicações, sobretudo a W52-FC Porto, que colocou Amaro Antunes, em quarto da geral, a 43 segundos, o Sporting-Tavira, que tem Rinaldo Nocentini na sexta posição, com o mesmo tempo, e a LA Alumínios-Metalusa BlackJack, cujo chefe-de-fila, Edgar Pinto, subiu ao oitavo posto, a 45 segundos.

 

A Astana Pro Team está no topo da classificação coletiva. Daniel Martin e Fernando Gaviria estão empatados na classificação por pontos, premiada com a Camisola Vermelha Cofidis. Daniel Martin é também o dono da Camisola Azul Liberty Seguros e o belga Tiesj Benoot (Lotto Soudal) está bem encaminhado para repetir a vitória na juventude e para ganhar a Camisola Branca Sicasal.

 

As classificações terão novo momento de decisão nesta sexta-feira, dia em que se disputa o contrarrelógio de 18 quilómetros, com partida e chegada na Fortaleza de Sagres.

 

Classificações/Results


2.ª Etapa/2nd Stage: Lagoa – Fóia, 189,3 km
1.º Daniel Martin (Quick-Step Floors), 4h46m35s (39,632 km/h)
2.ª Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), mt
3.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 20s
4.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 33s
5.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), mt
6.º Luis León Sánchez (Astana), a 35s
7.º Jonathan Castroviejo (Movistar Team), mt
8.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), mt
9.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), mt
10.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), a 46s

Geral/Overall


1.º Daniel Martin (Quick-Step Floors), 9h14m56s
2.ª Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), a 4s
3.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 26s
4.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 43s
5.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), a 42s
6.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), mt
7.º Luis León Sánchez (Astana), a 45s
8.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), mt
9.º Jonathan Castroviejo (Movistar Team), mt
10.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), a 46s

 

 

Fonte: Volta ao Algarve

 

3ª Etapa: Sagres - Sagres

 

O espanhol Jonathan Castroviejo (Movistar Team), campeão europeu de contrarrelógio, venceu hoje a terceira etapa da Volta ao Algarve, um exercício individual de 18 quilómetros, que levou o esloveno Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo) ao topo da classificação geral.

 

A chamada “prova da verdade”, disputada em Sagres, no mesmo percurso que acolheu o contrarrelógio da edição anterior da corrida, permitiu a Jonathan Castroviejo estrear a camisola de campeão da Europa, afirmando-se como um dos melhores especialistas mundiais na disciplina.

 

O campeão europeu cumpriu os 18 quilómetros em 21m24s, melhorando 10 segundos quanto ao registo pessoal do ano anterior. O campeão mundial, Tony Martin (Team Katusha Alpecin), foi mais uma vez segundo em Sagres, com 21m28s, um desempenho 26 segundos pior do que o conseguido há um ano. O terceiro no contrarrelógio desta sexta-feira foi o esloveno Primoz Roglic, a 5 segundos do primeiro classificado.

 

“Quase todos os anos corro aqui no Algarve e já procurava aganhar há algum tempo. Reconheci o percurso e as sensações foram boas ao longo de todo o contrarrelógio. Em todos os contrarrelógios que corri em 2016 fiquei no Top 4. Ganhar no começo da temporada a estes rivais é muito importante. O meu rendimento na Fóia foi bastante bom e isso dá-me moral para disputar as provas de uma semana. A geral da Volta ao Algarve não está ainda decidida. O Malhão é uma subida muito explosiva e acabando aí a Volta ao Algarve cada um irá ao seu limite”, declarou o vencedor da etapa.

 

O terceiro lugar na etapa permitiu a Primoz Roglic, campeão esloveno de contrarrelógio, conquistar a Camisola Amarela Turismo do Algarve, assumindo-se como o principal candidato à conquista da 43.ª Volta ao Algarve. O polaco Michal Kwiatkowski (Team Sky) ascendeu à segunda posição e é o mais sério candidato a destronar Roglic. Jonathan Castroviejo é o terceiro da geral, a 36 segundos.

 

“Na Fóia o Daniel Martin levou a melhor. Sou tido como um especialista no contrarrelógio mas quero ser mais do que isso. Para já quero discutir as provas de uma semana. Irei defender a camisola amarela. Conheço bem a subida ao Malhão e será um dia difícil, mas conto com o apoio dos meus colegas de equipa. Cada um dará o seu melhor, eu e os meus adversários, mas, no final, espero salvaguardar a liderança”, afirmou o novo comandante.

 

O irlandês Daniel Martin (Quick-Step Floors) foi incapaz de defender a liderança, fazendo o 74.º tempo no contrarrelógio, descendo para o sexto posto da geral, a 1m31s do sucessor. Segura, como consolação, a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos, e a Camisola Azul Liberty Seguros, da montanha.

 

O belga Tiesj Benoot (Lotto Soudal) deu mais um passo para ser, pelo segundo ano consecutivo, o melhor jovem da competição, segurando a Camisola Branca Sicasal. A Movistar Team venceu coletivamente a etapa e saltou para o comando da tabela por equipas.

 

A Volta ao Algarve prossegue neste sábado com a disputa da quarta etapa, a mais longa ligação da corrida, 203,4 quilómetros entre Almodôvar e Tavira. Espera-se que seja a segunda oportunidade para os sprinters brilharem, antevendo-se novo duelo entre os homens mais rápidos do pelotão, numa cidade de Tavira que acolhe a caravana sempre de forma calorosa.

 

Classificações
3.ª Etapa/3rd Stage: Sagres – Sagres, 18 km
1.º Jonathan Castroviejo (Movistar Team), 21m24s (50,467 km/h)
2.º Tony Martin (Team Katusha Alpecin), a 4s
3.º Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), a 5s
4.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), mt
5.º Lars Boom (Team Lotto NL-Jumbo), a 11s
6.º Arnaud Démare (FDJ), a 12s
7.º Alex Dowsett (Movistar Team), a 16s
8.º Edvald Boasson Hagen (Team Dimension Data), a 20s
9.º Nelson Oliveira (Movistar Team), mt
10.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), a 21s

Geral/Overall
1.º Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), 9h36m29s
2.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 22s
3.º Jonathan Castroviejo (Movistar Team), a 36s
4.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), a 55s
5.º Luis León Sánchez (Astana), a 59s
6.º Daniel Martin (Quick-Step Floors), a 1m31s
7.º Tony Martin (Team Katusha Alpecin), a 1m40s
8.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), a 1m49s
9.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 1m54s
10.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 1m56s

 

Fonte: Volta ao Algarve

 

4ª etapa. Almodôvar - Tavira

 

O campeão da Alemanha de fundo, André Greipel (Lotto Soudal), venceu hoje a quarta etapa da Volta ao Algarve, em Tavira, num despique com o compatriota John Degenkolb (Trek-Segafredo), apenas deslindado pelo recurso ao photo finish.
 
 
Os 203,4 quilómetros que ligaram Almodôvar a Tavira terminaram de forma apoteótica. Milhares de pessoas puderam assistir a um sprint entusiasmante, do qual saiu vencedor André Greipel, com uma diferença de cerca de um pneu para John Degenkolb. O terceiro foi o campeão holandês de fundo, Dylan Groenewegen.
 
 
André Greipel lançou o sprint mais cedo e quase foi surpreendido pela inclinação dos últimos 50 metros, tendo de sofrer para resistir à aproximação de John Degenkolb. Greipel conseguiu a segunda vitória pessoal em Tavira – a outra foi em 2011 – e prolongou o domínio germânico na cidade do Gilão: nas últimas cinco vezes que uma etapa da Volta ao Algarve terminou em Tavira ganharam alemães.
 
 
A chegada em pelotão compacto ficou garantida a dois quilómetros da meta, quando foi anulada a fuga do dia, protagonizada, desde o quilómetro 6, por Ryan Mullen (Cannondale Drapac), Dion Smith (Wanty-Groupe Gobert), Taco van der Hoorn (Roompot-Nederlanse Loterij) e João Matias (LA Alumínios-Metalusa BlackJack). O luso descolou da frente a cerca de 40 quilómetros do fim, mas o trio de forasteiros obrigou o pelotão a trabalhos forçados para garantir uma nova oportunidade aos sprinters.
 
 
“A fuga dificultou-nos bastante a preparação da chegada, pois gastamos quase metade da equipa a perseguir. No final encontrei-me numa boa posição e arranquei no momento certo. Já aqui ganhei em Tavira mas no ano passado não pude disputar o sprint. Desta vez tive a sorte comigo. Foi um sprint bem disputado, lado a lado com o Degenkolb, mas felizmente consegui ganhar. É sempre bom sinal ganhar aqui no Algarve”, reconheceu André Greipel.
 
 
Como se esperava, a etapa deste sábado não teve consequências em termos de geral individual. O esloveno Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo) segurou a Camisola Amarela Turismo do Algarve. É perseguido de perto pelo polaco Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 22 segundos, e pelo espanhol Jonathan Castroviejo (Movistar Team), a 36 segundos.
 
 
Amanhã tudo deverá ser diferente. A quinta e última etapa vai ligar o centro de Loulé ao alto do Malhão, com a meta a coincidir com uma contagem de montanha de segunda categoria. Nos últimos 62 quilómetros, os corredores vão subir quatro montanhas, num percurso todo de sobe e desce, que inclui uma primeira passagem no Malhão, a 41,5 quilómetros do fim.
 
 
Com este traçado e com as diferenças entre candidatos já, de certa forma, significativas, as equipas que pretenderam dar a volta à classificação terão de atacar de longe, fomentando o espectáculo.
 
 
“Controlamos a etapa desde o início e foi bastante duro para toda a equipa. Iremos fazer o mesmo amanhã. É possível vencer a Volta ao Algarve no Malhão. Haverá seguramente muitos ataques mas estaremos preparados. O Kwiatkowski é o adversário mais perigoso, até porque é quem me ameaça mais na geral. Fisicamente sinto-bem e estou ansioso por amanhã. Daremos o nosso melhor”, promete Primoz Roglic.
 
 
As classificações secundárias também estão em aberto. André Greipel veste a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos, Daniel Martin (Quick-Step Floors) segue na frente da lista de trepadores, envergando a Camisola Azul Liberty Seguros, e Tiesj Benoot (Lotto Soudal) tem no corpo a Camisola Branca SIcasal, de melhor jovem. A Movistar Team comanda por equipas.
 
 
Classificações/Results

4.ª Etapa/Stage 4: Almodôvar – Tavira, 203,4 km

1.º André Greipel (Lotto Soudal), 4h57m51s (40,974 km/h)
2.º John Degenkolb (Trek-Segafredo), mt
3.º Dylan Groenewegen (Team Lotto NL-Jumbo), mt
4.º Arnaud Démare (FDJ), mt
5.º Jasper Stuyven (Trek-Segafredo), mt
6.º Andrea Pasqualon (Wanty-Groupe Gobert), mt
7.º Fernando Gaviria (Quick-Step Floors), mt
8.º Nacer Bouhanni (Cofidis), mt
9.º Michael Schwarzmann (Bora-hansgrohe), mt
10.º Edvald Boasson Hagen (Team Dimension Data), mt
 
 
Geral/Overall

1.º Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), 14h34m20s
2.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 22s
3.º Jonathan Castroviejo (Movistar Team), a 36s
4.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), a 55s
5.º Luis León Sánchez (Astana), a 59s
6.º Daniel Martin (Quick-Step Floors), a 1m31s
7.º Tony Martin (Team Katusha Alpecin), a 1m40s
8.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), a 1m49s
9.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 1m54s
10.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 1m56s

 

Fonte: Volta ao Algarve

 

5ª etapa: Loulé - Malhão

O esloveno Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo) venceu hoje a 43.ª Volta ao Algarve, depois de disputada a quinta etapa, com final no alto do Malhão, ganha pelo algarvio Amaro Antunes (W52-FC Porto).
 
 
A tirada de 179,2 quilómetros, entre o centro de Loulé e o alto do Malhão, começou muito veloz, com mais de 50 quilómetros percorridos na primeira hora. Mas os candidatos acabaram por ficar na expectativa, não se movendo na derradeira ascensão.
 
A apatia dos principais nomes internacionais foi aproveitada por Amaro Antunes, que deu o melhor seguimento ao trabalho da W52-FC Porto, que trabalhou para anular a fuga de 21 homens que apenas foi definitivamente dada por extinta no sopé do Malhão.
 
 
Perante a postura defensiva das estrelas internacionais, Amaro Antunes arrancou a quilómetro e meio do final e não mais foi alcançado. Cortou a meta ao fim de 4h29m28s de corrida, deixando a 12 segundos o espanhol Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) e o belga Tiesj Benoot (Lotto Soudal), segundo e terceiro, respetivamente.
 
 
“Ganhar é a algo que a W52-FCPorto já habitou os adeptos. Este é um lugar habitual de treinos, conheço esta subida de olhos fechados. Sabia onde tinha de arrancar. Inicialmente, hesitei um pouco, contive-me e finalmente arranquei no momento certo. É especial ganhar em casa, é muito emotivo e algo que hoje, no hotel, sonhava. Amigos e familiares vieram para aqui às cinco da madrugada para pintar a estrada e a única resposta que lhes tinha de dar, o único agradecimento possível, era chegar aqui em primeiro lugar. Para dizer a verdade, na primeira passagem fiz toda a subida em pele de galinha e quando a equipa começou a tirar só tinha em mente a vitória. Queria retribuir o apoio de quem acreditou em mim, em especial o meu diretor-desportivo Nuno Ribeiro. Acreditou desde o início que a vitória seria possível. Foi muito bom chegar aqui com os aplausos do público. É algo que não vou esquecer tão cedo. Não é por acaso que temos aqui alguns dos melhores ciclistas do mundo, um pelotão de luxo e isso ainda mais valor dá à minha vitória”, frisou Amaro Antunes.
 
 
O polaco MIchal Kwiatkowski foi o único dos pretendentes à geral a mover-se, mas não foi além de uma movimentação tímida, à qual Primoz Roglic respondeu com facilidade. O esloveno, antigo campeão de saltos de esqui, conquistou, assim, a principal vitória na carreira de ciclista.
 
 
Primoz Roglic conquistou a 43.ª Volta ao Algarve, acabando com 22 segundos de vantagem sobre Michal Kwiatkowski. O terceiro, a 55 segundos, foi o francês Tony Gallopin. “Fizemos um grande trabalho e controlamos a corrida até onde seria possível. Na subida final seria a minha vez. Consegui ficar com o Kwiatkowski e agora é tempo de celebrar. Foi duro para todos, mas felizmente conseguir levar esta camisola até ao final. Veremos o que o futuro me traz. Sei que combino a montanha e o contrarrelógio com certa facilidade e espero estar forte nas próximas corridas. Mas agora vou festejar. Quando comecei a competir não imaginava chegar a este nível. É um sonho estar aqui de amarelo”, admitiu Roglic.
 
 
O campeão da Alemanha de fundo, André Greipel (Lotto Soudal), empenhou-se a fundo na luta pela Camisola Vermelha Cofidis, participando na fuga do dia com esse objetivo. Foi uma iniciativa de sucesso, pois conseguiu a vitória por pontos.
 
 
A fuga deste domingo também deu resultados positivos ao colombiano Juan Osorio (Manzana Postobón) que, com a aventura deste domingo, ganhou a Camisola Azul Liberty Seguros, de melhor trepador. O melhor jovem foi, pelo segundo ano consecutivo, o belga Tiesj Benoot, que leva para casa a Camisola Branca Sicasal. Por equipas impôs-se a Astana.
 
Classificações/Results

5.ª Etapa/Stage 5: Loulé – Malhão, 179,2 km

1.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), 4h29m28s (39,901 km/h)
2.º Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 12s
3.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), mt
4.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 15s
5.º Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), mt
6.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), mt
7.º Jaime Rosón (Caja Rural-Seguros RGA), mt
8.º Luis León Sánchez (Astana), mt
9.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), mt
10.º David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé), mt
 
Geral/Overall

1.º Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), 19h04m03s
2.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 22s
3.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), a 55s
4.º Luis León Sánchez (Astana), a 59s
5.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 1m29s
6.º Daniel Martin (Quick-Step Floors), a 1m36s
7.º Jonathan Castroviejo (Movistar Team), a 1m40s
8.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), a 1m42s
9.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 1m56s
10.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), a 2m19s

 

Fonte: Volta ao Algarve

Calendário

Fevereiro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Misterwhat

Comentários recentes

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search