Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Calendário

Fevereiro 2020

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Misterwhat

Comentários recentes

  • Tempo no Algarve

    Pelo menos, os horários continuam iguais em vários...

  • Tempo no Algarve

    Boa Tarde.No último domingo, ainda não existia car...

  • Anónimo

    Bom dia,Sabe se as carreiras do barco para a ilha ...

  • Anónimo

    Esses horários estão atualizados? A partir do dia ...

  • fl

    "construtiva mente" diz olá e cumprimenta "Tempo n...

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search

29
Fev20

3380: Investigadores testam formas de afastar golfinhos das redes de pesca no Algarve

Tempo no Algarve

Um projeto da Universidade do Algarve (UAlg) está a testar formas de afastar os golfinhos de artes de pescas através de alarmes sonoros, diminuindo a sua mortalidade e os prejuízos para os pescadores, disse à Lusa uma investigadora.

 

"Os ensaios estão a decorrer e no caso das redes de emalhar são muito promissores, com 100% de sucesso na redução das capturas acidentais de cetáceos", revelou à Lusa a investigadora Ana Marçalo, uma das coordenadoras do projeto iNOVPESCA.

 

Desde junho passado que os alarmes acústicos estão a ser testados em redes de embarcações de Olhão, Quarteira (Loulé) e ilha da Culatra (Faro), fazendo a monitorização do sistema para perceber "os seus efeitos e eventual habituação dos animais".

 

A habituação dos cetáceos ao sistema pode vir a ser um problema, admitiu Ana Marçalo, já que se trata de animais "bastante inteligentes".

 

Numa primeira fase, foi feito um levantamento da captura acidental de animais marinhos (cetáceos, aves e tartarugas) no Algarve, com os resultados a revelarem a pesca do cerco e as redes de tresmalho e emalhar (fixas na coluna de água) como "as mais problemáticas", principalmente na zona do sotavento (leste).

 

A conservação das espécies é uma das preocupações do projeto, já que a captura acidental contribui para uma "mortalidade considerável", além dos prejuízos causados devido aos danos nas artes de pesca, referiu a investigadora.

 

Nas redes estáticas fundeadas, ou seja, de emalhar, o problema é "a facilidade" com que o golfinho roaz corvineiro "aprendeu a alimentar-se" dos peixes que ficam presos e são habituais na sua alimentação, provocando prejuízos "quer no pescado, quer pela destruição das redes".

 

No cerco, o golfinho comum é a espécie mais afetada e onde irão ser feitos ensaios com alarmes acústicos "na primavera deste ano" para avaliar a redução da sua captura acidental.

 

Mostrando-se otimista face os resultados obtidos nos testes já realizados, Ana Marçalo alertou, no entanto, para o facto de o tamanho da frota tornar "impraticável a colocação dos alarmes em todos os barcos", o que iria "aumentar o ruído" no ambiente marinho e "afastar os animais do seu habitat natural".

 

A investigadora destacou a importância da criação de um manual de boas práticas, juntamente com a comunidade piscatória, para "desenvolver ideias" para a utilização dos alarmes acústicos em artes adequadas, que estejam na água "apenas um determinado tempo e em certas estações do ano, estabelecendo certos limites".

 

A instalação dos alarmes fica a "custo zero para os profissionais da pesca", mas cada um "tem um valor de 2.500 euros" e precisam de ser colocados "a cada 400 metros", em redes que podem chegar a vários quilómetros.

 

Contudo, existem plataformas de financiamento inseridas no programa Mar 2020 às quais "as associações de pescadores deverão estar atentas", para se poderem candidatar quando abrirem os concursos.

 

O iNOVPESCA - Redução de Interações de espécies marinhas protegidas pescarias costeiras Algarvias: Inovação de procedimentos e técnicas de mitigação - é um projeto financiado pelo programa Mar2020 coordenado pelo grupo das Pescas, Biodiversidade e Conservação do Centro de Ciências do Mar (CCMAR) da UAlg.

 

O seu objetivo é avaliar o nível de problemas associados às interações de cetáceos e outras espécies protegidas (tartarugas marinhas e aves) com as pescarias costeiras algarvias, procurando resolvê-los testando novos métodos de mitigação.

 

Fonte: CM

29
Fev20

Dados da Estação Meteorológica em Olhão

Tempo no Algarve

Dados referentes ao mês de Fevereiro de 2020

 

Dia

Temperatura

Máxima (ºC)

Temperatura

mínima (ºC)

Precipitação

(mm)

               Observações             
1 19.2 10.4 0 Céu limpo
2 21.0 10.3 0 Céu limpo
3 19.5 12.1 0 Céu limpo
4 22.8 9.0 0 Céu limpo
5 18.0 10.7 0 Céu pouco nublado temporariamente nublado
6 17.5 11.9 0 Céu nublado por nuvens altas
7 17.9 12.3 0 Céu nublado
8 17.8 10.3 0 Céu nublado
9 18.3 9.9 0 Céu nublado por nuvens altas
10 19.2 10.3 0 Céu limpo
11 18.7 10.3 0 Céu pouco nublado
12 18.1 12.1 0 Céu nublado
13 18.7 12.0 0 Céu com algumas nuvens
14 18.9 9.8 0 Céu com nuvens altas
15 18.9 9.8 0 Céu pouco nublado
16 18.9 10.1 0 Céu pouco nublado
17 19.7 10.2 0 Céu pouco nublado tornando-se nublado
18 20.4 11.2 0 Céu limpo
19 19.3 12.2 0 Céu limpo
20 18.9 11.2 0 Céu limpo
21 18.6 12.2 0 Céu limpo
22 20.6 11.2 0 Céu limpo
23 19.3 11.2 0 Céu limpo
24 19.4 8.3 0 Céu limpo
25 19.0 10.1 0 Céu pouco nublado
26 20.8 10.1 0 Céu pouco nublado
27 20.5 9.1 0 Céu pouco nublado
28 19.5 11.2 0 Céu nublado por nuvens altas
29 17.9 8.8 1 Céu nublado. Chuvisco

 

26
Fev20

3379: Previsão meteorológica para a semana de 27 de Fevereiro a 1 de Março de 2020

Tempo no Algarve

Previsão meteorológica no Algarve para os próximos dias:

 

Dia 27 (5ª feira) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de norte. Pequena descida da temperatura mínima. Pequena subida da temperatura máxima.

 

Máximas: 19ºC - 23ºC

mínimas: 5ºC - 9ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste inferiores a 1 metro. Temperatura da água do mar: 16ºC

 

Dia 28 (6ª feira) - Céu nublado por nuvens altas. Vento fraco.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 6ºC - 10ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste inferiores a 1 metro. Temperatura da água do mar: 16ºC


Dia 29 (Sábado) - Céu nublado. Vento moderado de oeste.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 7ºC - 11ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros.

 

Dia 1 (Domingo) - Céu nublado. Vento fraco a moderado de oeste. Possibilidade para a ocorrência de chuva fraca ou chuvisco.

 

Máximas: 16ºC - 20ºC

mínimas: 8ºC - 12ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros.

 

Precipitação prevista para esta semana: 0 a 2 mm

24
Fev20

3378: Ria Formosa: ilhas barreira podem desaparecer em 30 anos

Tempo no Algarve

Faz este mês 10 anos que o mar fez desabar ondas de seis metros sobre 77 casas na ilha da Fuseta, deixando um rasto de destruição, e o cenário pode vir a repetir-se. Segundo o “Expresso”, a subida do nível médio do mar em cerca de um metro até ao final do século e a intensificação de tempestades, potenciadas pelas alterações climáticas, põem em risco as ilhas barreira como o Farol e a praia de Faro.

 

O semanário adianta que as ilhas ali existentes há cerca de seis mil anos poderão ficar parcial ou totalmente submersas dentro de 30 a 50 anos. Se nada for feito para o evitar, a ria Formosa será transformada num contínuo de mar. «Com a subida do nível médio do mar, as ondas vão rebentar mais alto e a duna que forma as ilhas-barreira terá poucas possibilidades de resistir. O que aconteceu na Fuseta vai repetir-se, nomeadamente na península do Ancão», alerta Carlos Antunes, especialista em Engenharia Geográfica da Universidade de Lisboa.

 

Também Óscar Ferreira, especialista em Dinâmicas Costeiras da Universidade do Algarve, confirma que os núcleos da Praia de Faro e do Farol são os mais expostos ao risco, salientando que as recargas artificiais de areia entre a Quarteira e Vale do Lobo, realizadas em 2010, «minimizaram o recuo da linha de costa, mas basta uma tempestade conjugada com uma maré alta e elevada energia para que recue cinco ou seis metros». Na Fuseta e nos ilhotes, acrescenta, a demolição das construções permitiu «a renaturalização e recuperação positiva dos ecossistemas», que não é possível onde há casas.

 

O “Expresso” escreve ainda que só cerca de metade das 900 casas ilegais que constam da lista elaborada pela Sociedade Polis nos núcleos da Fuseta, Praia de Faro, Hangares, Farol, Deserta e ilhotes foram demolidas, a maioria entre 2014 e finais de 2015. A Polis será extinta este ano, mas o processo de requalificação e renaturalização da Ria Formosa só estará concluído em 2030. Quanto às cerca de duas mil casas consideradas legais, que não estão na lista para demolição, será a natureza a ditar o seu fim.

 

Em 2016, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, abrandou o processo, dizendo ser necessária «uma avaliação de grande pormenor, que conjuga risco, legalidade e ponderação social».

 

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) explica que «o Governo decidiu que seria definida uma faixa de risco agravado, restringindo a área prioritariamente a intervencionar” e que “nenhuma construção comprovada como primeira e única habitação, ou como casa de pescador, viveirista ou mariscador, ou ativo reformado seria objeto de demolição sem antes estar garantida uma solução adequada para o respetivo realojamento». Desde 2016, só foram abaixo 69 casas – porque quem nelas vivia morreu ou foi realojado, ou porque uma intempérie a deitou abaixo. 

 

Fonte: Executive Digest

23
Fev20

3375: Volta ao Algarve 2020 - Classificação Geral

Tempo no Algarve

1ª Etapa: Portimão - Lagos (195.6 kms)

 

O campeão da Holanda de fundo, Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step), ganhou hoje a primeira etapa da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, uma viagem de 195,6 quilómetros, entre Portimão e Lagos.
 
 
A tirada teve animação logo desde o quilómetro 5, quando um trio resolveu partir à aventura. Diego López (Fundación-Orbea), Alvaro Trueba (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel) e Pedro Paulinho (Efapel) foram os primeiros fugitivos desta edição da corrida, mas o pelotão manteve-os sempre a uma distância controlável. O corredor da equipa basca aproveitou a iniciativa para garantir a subida ao pódio como dono da Camisola Azul Lusíadas, de melhor trepador.
 
 
O trabalho das equipas com interesse numa chegada ao sprint acabou com a fuga a 32 quilómetros do final. Quando se esperava uma aproximação calma a Lagos, alguns nomes grandes do pelotão tentaram movimentar a corrida. Philippe Gilbert e Tim Wellens (Lotto Soudal), Remco Evevenpoel (Deceuninck-Quick-Step) e Vincenzo Nibali (Trek-Segafredo) estiveram entre os atacantes, mas o pelotão conseguiu chegar compacto a Lagos.
 
 
No sprint perante milhares de espectadores, Fabio Jakobsen venceu pelo segundo ano consecutivo em Lagos, beneficiando de uma melhor leitura de corrida do que os rivais. O holandês protelou o arranque final para perto do risco de chegada e quando “disparou” não deu a menor hipótese à forte concorrência. Nas posições imediatas, com as mesmas 4h55m37s do vencedor, colocou-se um desfile de estrelas do sprint mundial, Elia Viviani (Cofidis), Matteo Trentin (CCC Team) e Alexander Kristoff (UAE Team Emirates).
 
 
Fabio Jakobsen é o dono da Camisola Amarela Visit Algarve, comandando a geral individual, com o mesmo tempo do restante pelotão. O holandês é também o proprietário da Camisola Vermelha Cofidis, da classificação geral por pontos. O melhor jovem, portador da Camisola Branca IPDJ, é o colombiano Juan Fernando Calle (Caja Rural-Seguros RGA). A Israel Start-Up Nation está no topo da geral coletiva.
 
 
“A corrida não foi a mais dura, mas quando Tim Wellens atacou, esforcei-me para me manter no grupo. Nos últimos 20 quilómetros, o ritmo nunca desceu e fiquei contente por a equipa me ter colocado numa boa posição aqui em Lagos. Os últimos 700 metros foram em linha reta e sabia que se me sentisse bem poderia ganhar. Eu adoro Lagos e estou feliz com esta vitória. Sexta-feira haverá, provavelmente, outra chegada ao sprint. Na equipa temos alguns corredores para as etapas de montanha e claro que o Remco [Evenpoel], com o contrarelógio, vai tentar fazer uma boa classificação geral”, afirmou Fabio Jakobsen após a etapa.
 
 
As primeiras decisões na luta pela classificação geral são esperadas para esta quinta-feira, dia da segunda etapa, 183,9 quilómetros, entre Sagres (12h10) e o alto da Fóia (17h00). Os 7,5 quilómetros da subida final, de primeira categoria, são antecedidos pelos prémios de montanha de Marmelete (3.ª cat., km 48,9, 13h29), Alferce (3.ª cat., km 162,3, 16h11) e Pomba (2.ª cat. Km 170,2, 16h23). O encadeamento da Pomba com a Fóia poderá ser um convite a ataques de longe, visando distanciar os contrarrelogistas.
 
 
Além dos prémios de montanha, a segunda etapa será animada pelas metas volantes de Aljezur (km 41,6, 13h19) e Monchique (km 176, 16h31).
 
 

Classificação geral:

  1. Fábio Jakobsen (Deceuninck-Quick Step) 4h35.37
  2. Elia Viviani (Cofidis) m.t.
  3. Matteo Trentin (CCC) m.t.
  4. Alexander Kristoff (UAE Team-Emirate) m.t.
  5. Jon Aberasturi Izaga (Caja Rural) m.t.
  6. Cees Bol (Sunweb) m.t.
  7. Roger Kluge (Lotto Soudal) m.t.
  8. David Cimolai (Israel Start-Up Nation) m.t.
  9. Daniel Hoelgaard (Uno-X)
  10. Edward Theuns (Trek-Segafredo) m.t.

 

2ª Etapa: Sagres - Alto da Fóia (183.9 Kms)

 

O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) conquistou hoje a Camisola Amarela da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, depois de triunfar na segunda etapa, 183,9 quilómetros, entre Sagres e o alto da Fóia, onde a meta coincidia com um prémio de montanha de primeira categoria.

 

O prodígio, 20 anos, fez uma corrida perfeita, auxiliado, nos momentos decisivos, pelo jovem português João Almeida, que impôs o ritmo no grupo dos favoritos nos derradeiros dois quilómetros, garantindo que o chefe-de-fila tivesse condições para atacar com a meta à vista.

 

Depois de a UAE Team Emirates ter imposto um ritmo forte e de a Astana Pro Team ter tentado partir do grupo dos candidatos, Simon Geschke (CCC Team) desferiu um ataque a 2500 metros da chegada, anulado por João Almeida. O corredor das Caldas da Rainha manteve uma pedalada forte, impedindo novas movimentações, até que, a 300 metros do fim, Remco Evenepoel atacou para a vitória.

 

O belga cortou o risco com 4h46m38s, batendo por uma nesga o campeão da Alemanha de fundo Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe), que recuperou e quase conseguia vencer a tirada. O terceiro, a 2 segundos, foi o irlandês Daniel Martin (Israel Start-Up Nation).

 

Tal como se desejava, para manter o interesse da corrida até final, a luta pela Camisola Amarela Visit Algarve será acesa, com pouco mais de meio minuto a separar o primeiro do 15.º da geral. No topo está Remco Evenepoel, com o mesmo tempo de Maximilian Schachmann. Rui Costa (UAE Team Emirates), quarto na etapa, é o terceiro da geral, a 2 segundos do comandante, tal como Daniel Martin e Tim Wellens (Lotto Soudal), quarto e quinto, respetivamente.

 

Além da camisola amarela, Remco Evenepoel é dono da Camisola Branca IPDJ, de melhor jovem, e da Camisola Azul Lusíadas, de melhor trepador. Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step) segurou a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos. Por equipas comanda a Astana Pro Team.

 

“Sabíamos que os últimos 1500 metros da subida poderiam ser decisivos, por causa do vento, e por isso a nossa missão era aguentar o ritmo da subida e procurar, na parte final, uma oportunidade para atacar. A equipa protegeu-me bem, o meu colega João Almeida deixou-me em boa posição e ataquei confiante nos últimos 300 metros. Vencer deixa-nos felizes mas, na vida, há coisas mais importantes. O filho do meu colega de equipa Nikolas Maes morreu recentemente e, por isso, a minha vitória é-lhe inteiramente dedicada. A nossa equipa está unida e é solidária. A corrida amanhã tem nova oportunidade para o Fabio Jakobsen e esse é agora o nosso próximo objetivo antes do Malhão e do contrarrelógio final”, descreve Remco Evenepoel.

 

Antes das decisões na montanha, mostraram-se Michael Schar (CCC Team), Casper Pedersen (Team Sunweb) e Dries de Bondt (Alpecin-Fenix), que formaram a fuga do dia, logo ao quilómetro 12. O pelotão deu-lhes rédea curta, não deixando a diferença chegar aos três minutos.

 

A W52-FC Porto foi a responsável pelo ritmo do grupo ao longo da maior parte da jornada, mas a UAE Team Emirates assumiu a perseguição, com uma pedalada mais rija, à entrada dos 40 quilómetros finais, deixando claro que a fuga estaria condenada, o que se confirmaria a 20 quilómetros da meta.

 

A UAE Team Emirates prosseguiu o endurecimento na subida de Pomba, curta, mas muito inclinada, reduzindo drasticamente o pelotão, fazendo a primeira seleção para o espectáculo que se veria na escalada ao ponto mais alto do Algarve.

 

Após a montanha, amanhã espera-se que o protagonismo regresse aos velocistas, na viagem mais longa da corrida. A terceira etapa vai ligar Faro (11h50) a Tavira (17h00, ao longo de 201,9 quilómetros. Os corredores vão encontrar metas volantes em São Brás de Alportel (km 18,4, 12h31), Alcoutim (km 64,9, 15h20) e Vila Nova de Cacela (km 190, 16h36) e dois prémios de montanha de terceira categoria, Portela da Corcha (63,4, 13h35) e Cachopo (km 78,3, 13h56).

 

Classificação da 2.ª etapa - top-10:
 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 4:46.38 horas. 
 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), m.t.
 3. Daniel Martin, Irl (Israel Start-Up Nation), a 02 segundos
 4. Rui Costa, Por (UAE Emirates), m.t.
 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), m.t.
 6. Miguel Angel López, Col (Astana), a 05
 7. Frederico Figueiredo, Por (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel), a 08
 8. Vincenzo Nibali, Ita (Trek-Segafredo), m.t.
 9. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), m.t.
10. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), m.t.
 

Classificação geral:
 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 9:42.15 horas. 
 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), m.t.
 3. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 02 segundos
 4. Daniel Martin, Irl (Israel Start-Up Nation), m.t.
 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), m.t.
 6. Miguel Angel López, Col (Astana), a 05
 7. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), a 08
 8. Vincenzo Nibali, Ita (Trek-Segafredo), m.t.
 9. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), m.t.
10. Frederico Figueiredo, Por (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel), m.t.

 

3ª Etapa: Faro - Tavira (201.9 kms)

 

O holandês Cees Bol (Team Sunweb) ganhou hoje a terceira etapa da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, impondo-se com um sprint poderoso, ao fim de 201,9 quilómetros, entre Faro e Tavira. O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) mantém a Camisola Amarela Visit Algarve.
 
 
Na etapa mais longa da competição, Gotzon Martín (Fundación-Orbea), Aleksandr Grigorev (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel) e Tiago Antunes (Efapel) não demonstraram medo da distância e saíram do pelotão com apenas 3 quilómetros percorridos. O pelotão autorizou aos três o papel de animadores da tirada, mas manteve-os a uma distância recuperável. O fim da aventura aconteceria a 19 quilómetros da chegada.
 
 
Cumpriu-se o guião esperado. Os milhares de espectadores que se colocaram na reta da meta assistiram a um empolgante sprint. Cees Bol não deu a menor hipótese à concorrência. Foi o primeiro a arrancar, a 200 metros da meta, e não permitiu que os rivais lhe retirassem o triunfo.
 
 
O velocista da Team Sunweb cortou a meta com 5h00m51s, relegando o italiano Sacha Modolo (Alpecin-Fenix) para a segunda posição e o holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step) para o terceiro posto.
 
 
“Estou super feliz com esta vitória. Vencer aqui era um objetivo da equipa. Assumimos a corrida na parte final e os meus colegas da Team Sunweb foram excecionais a colocarem-me numa boa posição para o sprint. Não foi uma etapa stressante, antes pelo contrário, até deu para aproveitar o sol. É a minha primeira corrida do ano e vencer dá-me confiança para os próximos objetivos. Na próxima semana correrei a Kuurne-Bruxelles-Kurne e, por isso, ganhar aqui é um sinal de que me encontro bem”, afirmou o vencedor do dia.
 
 
Foi uma jornada de transição na luta pela classificação geral. Remco Evenepoel continua a vestir a Camisola Amarela Visit Algarve, sendo seguido pelo alemão Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe), com o mesmo tempo. O irlandês Daniel Martin (Israel Start-Up Nation) é o terceiro, a 2 segundos, a mesma desvantagem registada por Rui Costa (UAE Team Emirates), quarto, e Tim Wellens (Lotto Soudal), quinto.
 
 
Remco Evenepoel é também o dono das Camisolas Azul Lusíadas, da montanha, e Branca IPDJ, da juventude. O colega de equipa Fabio Jakobsen veste a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos. A única classificação que escapa à Deceuninck-Quick-Step é a coletiva, encimada pela Astana Pro Team.
 
 
“Foi um dia para sprinters, por isso, não foi decisivo para mim. Era importante preservar a camisola amarela e tentar colocar o Fabio [Jakobsen] para discutir a etapa. Na parte final, nos últimos três quilómetros, optei por não correr riscos e preservei-me no pelotão. Amanhã, no Malhão, a corrida será diferente e apenas teremos que defender a camisola. Nenhum dos rivais da classificação geral poderá fugir, essa será a nossa tarefa: defender a liderança”, antecipa o primeiro da geral.
 
 
A quarta etapa, a disputar neste sábado, será a melhor oportunidade para tentar destronar Remco Evenepoel do topo da classificação geral. A tirada, com 169,7 quilómetros, entre Albufeira e o alto do Malhão, no concelho de Loulé, é o ensejo para os trepadores distanciarem Evenepoel, campeão europeu de contrarrelógio.
 
 
A viagem começa, na Câmara de Albufeira, às 12h30, prevendo-se que termine cerca das 17h00, na icónica montanha de segunda categoria. Antes da subida decisiva, os corredores vão ultrapassar as subidas de terceira categoria na Picota (km 66, 14h14), do Barranco do Velho (km 104, 15h08), e Alte (km 132,2, 15h48). A primeira passagem no Malhão, a 24 quilómetros do fim, acontece às 16h08.
 
 

Classificação da 3.ª etapa:

 1. Cees Bol, Hol (Sunweb), 5:00.51 horas. 
 2. Sacha Modolo, Ita (Alpecin-Fenix), m.t.
 3. Fabio Jakobsen, Hol (Deceuninck-QuickStep), m.t.
 4. Alexander Kristoff, Nor (UAE Emirates), m.t.
 5. Daniel Hoelgaard, Nor (Uno-X Norwegian), m.t.
 6. Ryan Mullen, Irl (Trek-Segafredo), m.t.
 7. Elia Viviani, Ita (Cofidis), m.t.
 8. Roger Kluge, Ale (Lotto Soudal), m.t.
 9. Jon Aberasturi, Esp (Caja Rural), m.t.
10. Tom Devriendt, Bel (Circus-Wanty Gobert), m.t.

 

- Classificação geral:


 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 14:43.06 horas. 
 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), m.t.
 3. Daniel Martin, Irl (Israel Start-Up Nation), a 02 segundos.
 4. Rui Costa, Por (UAE Emirates), m.t.
 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), m.t.
 6. Miguel Angel López, Col (Astana), a 05
 7. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), a 08
 8. Vincenzo Nibali, Ita (Trek-Segafredo), m.t.
 9. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), m.t.
10. Frederico Figueiredo, Por (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel), m.t.

 

4ª Etapa: Albufeira - Alto do Malhão (169.7 kms)

 

O colombiano Miguel Ángel López (Astana Pro Team) conquistou hoje a quarta etapa da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, no alto do Malhão, Loulé, depois de percorridos 169,7 quilómetros, desde Albufeira. O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) resistiu às investidas dos adversários e manteve a Camisola Amarela Visit Algarve, em igualdade de tempo com Daniel Martin (Israel Start-Up Nation) e Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe), segundo e terceiro, respetivamente.

 

A esperada etapa do Malhão não desiludiu, proporcionando emoção e espectáculo aos milhares de espetadores que se espalharam pela montanha louletana. Um grupo com cerca de 30 unidades entrou na subida final, durante a qual se sucederam os esticões. Até aos 500 metros finais nenhuma iniciativa resultou, mas, nessa altura, Miguel Ángel López fez o ataque decisivo.

 

O colombiano arrancou com confiança. O irlandês Daniel Martin tentou responder, mas o melhor que conseguiu foi a segunda posição, a 2 segundos. Remco Evenepoel sofreu para chegar no terceiro lugar, a 4 segundos do vencedor.

 

“Tive boas sensações na subida do segundo dia [Fóia] e contava estar bem para discutir esta etapa, apesar de ser a minha primeira corrida da temporada. Estou satisfeito com a vitória e quero dedicá-la à minha família. Os meus companheiros de equipa protegeram-me do vento durante toda a etapa e conseguiram posicionar-me bem à entrada da subida final. Ataquei de longe para me isolar e consegui uma vantagem importante que foi suficiente para ganhar. O triunfo aqui é um sinal positivo. No contrarrelógio vou dar o meu melhor para uma boa classificação. Depois do Algarve os próximos objetivos serão o Paris-Nice e a Volta a Catalunha”, revelou o vencedor do dia.

 

Com estes resultados, a Volta ao Algarve Cofidis ficou ainda mais emocionante, chegando à última etapa com os três primeiros da classificação geral empatados em tempo. Remco Evenepoel, Daniel Martin e Maximilian Schachmann partirão sem diferenças para o exercício individual de Lagoa. Mas a concorrência também não está longe. Miguel Ángel López é quarto, a 1 segundo, Rui Costa (UAE Team Emirates) é quinto, a 3. Seguem-se Amaro Antunes (W52-FC Porto) e Bauke Mollema (Trek-Segafredo), a 18.

 

“Não foi um dia fácil, antes pelo contrário. A aproximação ao final foi algo nervosa, mas a minha missão era clara. Vigiar os adversários mais perigosos na classificação geral e conservar a camisola amarela. Perdi alguns segundos para o Miguel [Ángel López] o que me levará a encarar o contrarrelógio de amanhã ainda com mais motivação”, promete o chefe-de-fila da Deceuninck-Quick-Step.

 

Definidas parecem estar as classificações dos pontos e da juventude, com Remco Evenepoel a ser dono da Camisola Branca IPDJ e o colega de equipa Fabio Jakobsen a vestir a Camisola Vermelha Cofidis desde o primeiro dia.

 

A etapa assistiu também à luta pela Camisola Azul Lusíadas, de melhor trepador. Essa disputa aconteceu na fuga do dia, por intermédio de Tiago Antunes (Efapel) e Dries de Bondt, que saíram do pelotão ao quilómetro 12, na companhia de David González (Caja Rural-Seguros RGA), Tom Devriendt (Circus-Wanty Gobert), Daniel Hoelgaard (Uno-X Norwegian Development Team), Luís Mendonça (Efapel), Rafael Lourenço (Kelly-InOutBuild-UDO), Daniel Freitas (Miranda-Mortágua) e João Rodrigues (W52-FC Porto). O belga foi mais forte e só tem de concluir a última etapa para levar a Camisola Azul Lusíadas para casa.

 

O concelho de Lagoa recebe, neste domingo, o desfecho da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, sendo palco do contrarrelógio individual de 20,3 quilómetros, que determinará o vencedor de uma corrida emocionante e equilibrada como não há memória.

 

Top-10 da 4.ª etapa:

 

1. Miguel Angel Lopez (Astana) 4.16:25

2. Dan Martin (Israel Start-Up) +00:02

3. Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick Step) +00:04

4. Maximilian Schachmann (Bora-Hansgrohe) m.t.         

5. Rui Costa (Team Emirates) +00:05

6. Simon Geschke (CCC) +00:14

7. Amaro Antunes (W52- FC Porto) m.t.              

8. Bauke Mollema (Trek-Segafredo) m.t.            

9. Jan Polanc (Team Emirates) +00:19

10. Tim Wellens (Lotto Soudal) +00:21

 

Classificação geral:

 

1. Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick Step) 18.59:35

2. Daniel Martin (Israel Start-Up) m.t.

3. Maximilian Schachmann (Bora-Hansgrohe) m.t.

4. Miguel Angel Lopez Moreno (Astana) +00:01

5. Rui Costa (Team Emirates) +00:03

6. Amaro Antunes (W52/FC Porto) +00:18

7. Bauke Mollema (Trek-Segafredo) m.t.

8. Tim Wellens (Lotto Soudal) +00:19

9 .Simon Geschke (CCC) +00:24

10. Frederico Figueiredo (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel) +00:31

 

5ª Etapa: Lagoa - Lagoa (20.3 Kms)

 

O belga Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) conquistou hoje a 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, impondo-se no contrarrelógio final, um exercício de 20,3 quilómetros, disputado em Lagoa.

 

O corredor de 20 anos marcou o melhor registo de sempre neste percurso, técnico e a exigir potência para responder da melhor forma às contantes mudanças de ritmo provocadas pelas mudanças de direção.

 

O belga pedalou à média de 50,504 km/h para fechar os 20,3 quilómetros em 24m07s – o anterior melhor tempo era de 24m09s e foi estabelecido por Geraint Thomas, em 2018. O segundo na etapa de hoje foi o campeão mundial da especialidade, Rohan Dennis (Team INEOS), a 10 segundos do vencedor. O vencedor do contrarrelógio do ano passado, o suíço Stefan Küng (Groupama-FDJ), fechou o pódio da jornada, a 19 segundos.

 

A corrida chegou equilibrada ao último dia, mas a chamada “prova da verdade” colocou todos no seu lugar. Remco Evenepoel sagrou-se, assim, o vencedor indiscutível da 46.ª Volta ao Algarve Cofidis, sucedendo a outro jovem prodígio, Tadej Pogačar, no palmarés da corrida.

 

Remco Evenepoel concluiu os cinco dias de corrida em 19h23m42s, menos 38 segundos do que o alemão Maximilian Schachmann (Bora-hansgrohe) e menos 39 do que o colombiano Miguel Ángel López (Astana Pro Team), segundo e terceiro, respetivamente.

 

“Dei o máximo desde a partida. Foram 20 quilómetros de esforço, mas tendo reconhecido o percurso, sabia de antemão os pontos nos quais poderia recuperar. A minha técnica com a bicicleta de contrarrelógio é bastante boa e arrisquei bastante a curvar, o percurso era muito técnico. Segundo me disse o meu colega de equipa Yves Lampaert também estava mais vento do que no ano passado. Estou feliz, é um sonho bater o campeão do mundo. Gostei de correr no Algarve, a meteorologia é agradável, as estradas são excelentes e tivemos ainda dois dias importante de esforço na montanha”, salientou Evenepoel.

 

Rui Costa (UAE Team Emirates), quarto classificado, a 56 segundos do vencedor, foi o melhor português na classificação geral. Mais dois corredores nacionais conseguiram fechar dentro dos dez melhores, João Almeida (Deceuninck-Quick-Step), nono, a 1m40s, e Amaro Antunes (W52-FC Porto), décimo, a 1m57s.

 

Remco Evenepoel também ganhou a Camisola Branca IPDJ de melhor jovem. Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick-Step) conquistou a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos, e Dries de Bondt (Alpecin-Fenix) leva para casa a Camisola Azul Lusíadas, de rei da montanha. Por equipas impôs-se a Team INEOS.

 

Classificação da 5.ª etapa:

 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 24.07 minutos.

  (média: 50,504 km/h).

 2. Rohan Dennis, Aus (INEOS), a 10 segundos.

 3. Stefan Küng, Sui (Groupama-FDJ), a 19.

 4. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), a 38.

 5. Miguel Angel López, Col (Astana), m.t.

 6. Michal Kwiatkowski, Pol (INEOS), m.t.

 7. Patrick Bevin, Nlz (CCC), m.t.

 8. Yves Lampaert, Bel (Deceuninck-QuickStep), a 46.

 9. Nils Politt, Ale (Israel Start-Up Nation), a 47.

10. Mads Würtz Schmidt, Din (Israel Start-Up Nation), a 48.

 

Classificação geral final:

 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 19:23.42 horas.

 2. Maximilian Schachmann, Ale (Bora-hansgrohe), a 38 segundos.

 3. Miguel Angel López, Col (Astana), a 39.

 4. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 56.

 5. Tim Wellens, Bel (Lotto Soudal), a 1:17 minutos.

 6. Simon Geschke, Ale (CCC), a 1:18.

 7. Lennard Kämna, Ale (Bora-hansgrohe), a 1:26.

 8. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), a 1:31.

 9. João Almeida, Por (Deceuninck-QuickStep), a 1:40.

10. Amaro Antunes, Por (W52-FC Porto), a 1:57.

 

Classificação por pontos:

 1. Fabio Jakobsen, Hol (Deceuninck-QuickStep), 41 pontos.

 2. Cees Bol, Hol (Sunweb), 33.

 3. Alexander Kristoff, Nor (UAE Emirates), 26.

 

Classificação da montanha:

 1. Dries de Bondt, Bel (Alpecin-Fenix), 17 pontos.

 2. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep), 15.

 3. Tiago Antunes, Por (Efapel), 14.

 

Classificação da juventude:

 1. Remco Evenepoel, Bel (Deceuninck-QuickStep).

 2. João Almeida, Por (Deceuninck-QuickStep).

 3. Ilan van Wilder, Bel (Sunweb).

 

Classificação por equipas:

 1. INEOS, GB, 58:19.43

 2. UAE Emirates, EAU, a 25 segundos.

 3. CCC, Pol, a 1:51 minutos.

 

Fonte: Volta ao Algarve

23
Fev20

3377: Aviso Amarelo no Algarve

Tempo no Algarve

Faro

Última actualização da informação:

Domingo, 23 de Fevereiro de 2020

 
Agitação Marítima

Amarelo

Agitação Marítima

Para o período de: 2020-02-23 11:46:00
até: 2020-02-23 21:00:00

Altura Significativa das Ondas

Na costa Sul, ondas de sueste com 2 metros.

 

Fonte: IPMA

 

 

 

 

21
Fev20

3376: Previsão Especial Carnaval 2020

Tempo no Algarve

Previsão meteorológica no Algarve para os próximos dias:

 

Dia 22 (Sábado) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de leste.

 

Máximas: 20ºC - 24ºC

mínimas: 7ºC - 11ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros. Temperatura da água do mar: 16/17ºC.

 

Dia 23 (Domingo) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de leste.

 

Máximas: 20ºC - 24ºC

mínimas: 8ºC - 12ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros. Temperatura da água do mar: 15/16ºC.

 

Dia 24 (2ªfeira) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de leste.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 7ºC - 11ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros.

 

Dia 25 (3ª feira) - Céu pouco nublado. Vento fraco a moderado de noroeste. Pequena descida da temperatura máxima.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 7ºC - 11ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros.

 

Dia 26 (4ª feira) - Céu pouco nublado. Vento moderado de noroeste.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 7ºC - 11ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros.

19
Fev20

3374: Carnaval 2020 no Algarve

Tempo no Algarve

Loulé

 

A cidade de Loulé prepara-se para um dos seus principais eventos – o Carnaval –, nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro, o mais antigo corso do país sai para a rua, este ano com o tema “Era uma vez em… Louléwood”.

 

O cinema é o mote para mais uma festa com 14 carros alegóricos, 11 grupos de animação representados por associações do concelho, 3 escolas de samba, bailarinas de corpos pintados, animadores, fanfarras, cabeçudos, gigantones e muito mais, num total de cerca de 600 figurantes que irão desfilar ao longo da Avenida José da Costa Mealha.

 

Algumas películas marcantes da história da sétima arte estarão em destaque e as suas principais personagens vão confundir-se com figuras da política nacional e internacional, do desporto ou da vida social, que protagonizaram momentos mediáticos nos últimos meses. A sátira volta a ser o ingrediente preferido dos artistas que idealizaram o corso e estão garantidos momentos hilariantes em pleno “sambódromo louletano”.

 

Dois super-heróis da Banda Desenhada irão defrontar-se numa luta contra as alterações climáticas: de um lado, o “Capitão Trampa” (Donald Trump), o grande produtor de petrodólares, responsável por uma fatia significativa da poluição mundial, após ter rasgado o compromisso assumido no Acordo de Paris para a redução das emissões de CO2; do outro lado, o grande defensor do Planeta, o líder da ONU, António “Gulkterres”, aqui representado pela imagem do Incrível Hulk, o gigante verde que com a sua força defende o futuro da Terra.

 

A sátira ao Brexit, um dos episódios mais marcantes da atualidade política internacional, não podia faltar no mais importante corso da região, até pelo número significativo de residentes britânicos no Algarve e no concelho de Loulé. O Primeiro-Ministro Boris Johnson encarna em Loulé o famoso detetive de romances policiais, Sherlock Holmes, que procura, com sucesso, descobrir não um crime mas um acordo de saída do Reino Unido da União Europeia. Neste filme rodado em terras da sua Majestade não faltam duas atrizes secundárias: a anterior Primeira-Ministra britânica, Theresa May, e a chanceler alemã, Angela Merkel, que representa a grande força da Europa.

 

Em território nacional, ou antes em águas portuguesas, o destaque vai para o “Pirata das Caraíbas”, em que o protagonista não será o ator Johnny Depp mas sim o Ministro das Finanças, Mário Centeno - o Jack Sparrow da Ribeira do Cadoiço -, que tenta controlar os “ataques” às finanças do país.

 

As bandas desenhadas invadiram nos últimos tempos o cinema e vão invadir também o Carnaval de Loulé. Num dos carros alegóricos, os super-heróis são comparados aos políticos da “Geringonça” que nos últimos quatro anos sustentou a governação política em Portugal: o “Super-Costa”, o “Jerónimo Thor” e a “Catarina Wonder Woman”. Com os seus super-poderes, este trio conseguiu dar a volta à crise em que o país estava mergulhado, resgatando a confiança dos portugueses na política e na economia nacional.

 

“Jesus sambou no Flamengo” é o nome da película que retrata a aventura do treinador Jorge Jesus no Brasil, no comando técnico do clube carioca Flamengo, que naturalmente inspirou os criativos deste Carnaval. Depois de “ter passado” pelo corso louletano quando estava ao serviço do Benfica e do Sporting, Jesus regressa vestido com as cores do “Mengão” e com uma Taça dos Libertadores da América na mala. Futebol, samba, sol são temáticas presentes neste carro alegórico onde é também feita uma alusão ao filme de animação “Rio”, protagonizado por uma arara azul que é levada de uma floresta próxima do Rio de Janeiro para os Estados Unidos.

 

Mas muitos outros episódios mediáticos serão projetados neste ecrã gigante que é a Avenida José da Costa Mealha, uma sala de cinema perto de todos os que gostam da folia carnavalesca e que irão aproveitar uma passagem por Loulé para umas miniférias.

 

Refira-se que o evento continua a ter o carimbo EcoEventos que premeia o desempenho ambiental, nomeadamente pela utilização de copos de papel 100% biodegradáveis, reutilizáveis e compostáveis, que serão distribuídos pelos bares existentes no recinto, numa clara aposta na redução do plástico no recinto.

 

Quem quiser encarnar da melhor forma o espírito folião e cinematográfico poderá alugar um fato de Carnaval na Loja do Carnaval que abre as portas a partir de 7 de fevereiro, na Rua 1º de Dezembro (ao lado da Estação dos Correios). A loja funciona no seguinte horário: de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 19h30, e aos sábados, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h30.

 

Os bilhetes para o Carnaval mantêm o valor de 2 euros, tal como a componente solidária: as verbas arrecadadas serão distribuídas por instituições particulares de solidariedade social do concelho e pelas coletividades que participarão nos grupos de animação do corso louletano.

 

Num programa que pretende dinamizar a cidade e o concelho de Loulé nestes dias tão importantes para combater a sazonalidade do turismo algarvio, a Câmara Municipal de Loulé leva a cabo um programa com diversas atividades desportivas, recreativas e culturais, com destaque para o Carnaval Infantil, que sai para a rua no dia 21 de fevereiro, sexta-feira, e o Baile de Gala com o tema “Grandiosa Estreia em Louléwood”, que este ano irá decorrer no Salão de Festas de Loulé, na noite de 24 de fevereiro, segunda-feira.

 

Fonte: CM Loulé

 

Olhão e Moncarapacho

 

É já na próxima sexta feira, 21 de fevereiro, a partir das 10h30, que as crianças que frequentam as escolas olhanenses desfilam na Avenida da República, no centro da cidade, para brincarem ao Carnaval. Mais de 1300 alunos, que frequentam os vários níveis de ensino nas escolas públicas e privadas da cidade, trazem para a rua a alegria e irreverência características desta época. E também há desfiles nas freguesias, onde mais 850 crianças mostram as suas máscaras.

 

O Município de Olhão e a empresa municipal Fesnima organizam, numa das principais avenidas da cidade olhanense, o habitual desfile infantil de Carnaval que, como sempre, quer-se cheio de cor e ritmo, onde não faltarão artistas de rua e muita música. Estes festejos assinalam o início das comemorações carnavalescas no concelho, que se prolongam até 25 de fevereiro, dia de Entrudo.
 

Na sexta feira haverá ainda desfiles em Moncarapacho, onde mais de 450 crianças desfilam a partir das 10h00 e em Pechão 150 alunos das escolas locais saem à rua a partir das 10h30. Também na zona ribeirinha da Fuseta, 250 alunos mostram a sua criatividade a partir das 10h30. Estes desfiles são organizados pelo Município, com o apoio das respetivas juntas de freguesia.
 

Este ano, desfilam na Avenida da República os jardins de infância da Cruz Vermelha de Olhão, Santa Casa da Misericórdia de Olhão, “As Luzinhas” e Centro de Educação e Desenvolvimento Infantil "Porta Mágica”, da ACASO. Participam igualmente várias turmas das escolas EB1 Nº1, EB1 Nº5, EB1/JI Nº6, EB1/JI Nº7, EB1/JI de Quelfes e EB 1 de Brancanes.
 

Estes pequenos foliões envergarão disfarces com os temas “Juntos por um planeta melhor (peixes e árvores)”, “Alterações climáticas”, “Os quatro elementos”, “Bombeiros”, Usos e costumes de Olhão”, “Guardiões da natureza”, “Mar”, “Reciclagem”, “Espantalhos”, “Camaleões”, “Proteção ambiental” e “Circo”. 
 

O Carnaval de Moncarapacho, o mais antigo do Algarve e que nesta edição comemora 121 anos, leva àquela vila do concelho de Olhão foliões de todo o Algarve e turistas nos dias 23 e 25 de fevereiro, a partir das 15h00. Organizado pela União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta, o corso, com entrada livre e no qual desfilarão 12 carros alegóricos e cerca de 500 foliões, conta igualmente com o apoio do Município de Olhão e da empresa municipal Fesnima.
 
Fonte: CM Olhão
 
18
Fev20

3373: Situação da Seca em Portugal a 31 de Janeiro de 2020

Tempo no Algarve

De acordo com o índice PDSI, no final de Janeiro, mantém-se a situação de seca meteorológica nas regiões a sul do Tejo, sendo de realçar as regiões do Baixo Alentejo e Algarve nas classes de seca moderada e severa.

 

Assim, no final de Janeiro, 40.9% estava em situação de seca meteorológica, sendo que cerca de 6.1% estava na classe de seca severa.

 

Distribuição do PDSI no território do Continente:

  • Chuva extrema: 0.0%
  • Chuva severa. 1.3%
  • Chuva moderada: 26.0%
  • Chuva fraca: 19.4%
  • Normal: 12.4%
  • Seca fraca: 23.1%
  • Seca moderada: 11.7%
  • seca severa: 6.1%
  • seca extrema: 0.0%

 

827.jpg

 

Fonte: IPMA

17
Fev20

3372: Previsão meteorológica para a semana de 17 de Fevereiro a 23 de Fevereiro de 2020

Tempo no Algarve

Previsão meteorológica no Algarve para os próximos dias:

 

Dia 17 (2ª feira) - Céu nublado. Vento fraco a moderado de norte

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 8ºC - 12ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros. Temperatura da água do mar: 16/17ºC.

 

Dia 18 (3ª feira) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de norte. Pequena descida de temperatura.

 

Máximas: 17ºC - 21ºC

mínimas: 7ºC - 11ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 a 1.5 metros. Temperatura da água do mar: 16/17ºC

 

Dia 19 (4ª feira) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de leste.

 

Máximas: 16ºC - 20ºC

mínimas: 6ºC - 10ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 metro.

 

Dia 20 (5ª feira) - Céu nublado diminuindo de nebulosidade. Vento de moderado de norte.

 

Máximas: 17ºC - 21ºC

mínimas: 7ºC - 11ºC

 

Estado do mar: Ondas de sudoeste com 1 metro.

 

Dia 21 (6ª feira) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de leste.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 8ºC - 12ºC

 

Estado do mar: Ondas de sueste com 1 metro.


Dia 22 (Sábado) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de leste.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 8ºC - 12ºC

 

Estado do mar: Ondas de sueste com 1 a 1.5 metros.

 

Dia 23 (Domingo) - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco a moderado de leste.

 

Máximas: 18ºC - 22ºC

mínimas: 8ºC - 12ºC

 

Estado do mar: Ondas de sueste com 1.5 a 2 metros.

 

Precipitação prevista para esta semana: 0 a 2 mm

Pág. 1/3

Calendário

Fevereiro 2020

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Misterwhat

Comentários recentes

  • Tempo no Algarve

    Pelo menos, os horários continuam iguais em vários...

  • Tempo no Algarve

    Boa Tarde.No último domingo, ainda não existia car...

  • Anónimo

    Bom dia,Sabe se as carreiras do barco para a ilha ...

  • Anónimo

    Esses horários estão atualizados? A partir do dia ...

  • fl

    "construtiva mente" diz olá e cumprimenta "Tempo n...

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search