Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Google

Comentários recentes

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search

24
Fev19

3173: Aviso Amarelo no Algarve

Tempo no Algarve

Faro

Última actualização da informação:

Sábado, 23 de Fevereiro de 2019

 
Agitação Marítima

Amarelo

Agitação Marítima

Para o período de: 2019-02-24 21:00:00
até: 2019-02-27 06:00:00

Altura Significativa das Ondas

Na costa Sul, ondas de sueste com 2 a 2,5 metros.

 

Fonte: IPMA

24
Fev19

3172: Volta ao Algarve 2019 - Classificação Geral

Tempo no Algarve

1ª Etapa: Portimão - Lagos (199.1 kms)

 

O holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick Step) venceu hoje a primeira etapa da 45.ª Volta ao Algarve, uma maratona de 199,1 quilómetros entre Portimão, Cidade Europeia do Desporto, e Lagos.
 
A etapa terminou, como se esperava, com uma disputa de homens rápidos, mas foi um despique entre um grupo reduzido, uma vez que o pelotão ficou “cortado” devido a uma queda coletiva a 7 quilómetros da chegada.
 
 
Na reta da meta, perante milhares de pessoas, Fabio Jakobsen demonstrou enorme superioridade sobre os rivais, alçando os braços ao fim de 4h52m59s de corrida. O francês Arnaud Démare (Groupama-FDJ) foi o segundo classificado e o campeão da Alemanha de fundo, Pascal Ackermann (Bora-hansgrohe) fechou o pódio da jornada.
 
 
Na ausência de bonificações, a classificação geral está ordenada da mesma forma que a da etapa. Entre os homens apontados como candidatos à geral final, conseguiram passar entre os 25 corredores com o tempo do vencedor Neilson Powless (Team Jumbo-Visma), Wouter Poels (Team Sky), Tadej Pogacar (UAE Team Emirates), Sam Oomen (Team Sunweb), Enric Mas (Deceuninck-Quick Step), David de la Cruz (Team Sky) e Marc Hirschi (Team Sunweb). Os restantes homens com pretensões já cederam mais de um minuto.
 
 
A fase inicial da viagem foi animada pelas equipas portuguesas. Ao quilómetro dois, saíram do pelotão Pedro Paulinho (Efapel), David Ribeiro e Marvin Scheulen (LA Alumínios-LA Sport), José Mendes (Sporting-Tavira) e Rafael Lourenço (UD Oliveirense/InOutBuild). David Ribeiro aproveitou a aventura para vestir a Camisola Azul Águas do Algarve, de rei da montanha.
 
 
“É um sentimento magnifico estar aqui no pódio de uma corrida com os melhores do mundo. Sabemos que devido ao valor deste pelotão defender esta camisola azul é é uma tarefa muito complicada, para não dizer impossível, por isso, vou desfrutar ao máximo esta conquista. É curioso pensar que, há uns meses, tinha marcado este dia para tentar brilhar e assim o comentei com os meus companheiros. Normalmente é o dia mais acessível para entrar na fuga do dia e consegui. Certamente os meus colegas de treino ficaram surpreendidos, mas eu tinha-os avisado”, refere David Ribeiro.
 
 
Quando este grupo fraquejou, destacaram-se dois homens da Efapel, Sérgio Paulinho e Antonio Angulo. A dupla foi controlada à distância pelo pelotão, que anulou a iniciativa a 23 quilómetros da meta.
 
A partir daí, as equipas dos sprinters assumiram a dianteira da corrida, mas uma queda numa zona de estrada larga complicou as contas, deixando a maior parte do pelotão para trás, uns corredores porque foram ao chão e outros porque a estrada ficou tapada pelos acidentados.
 
 
No sprint Fabio Jakobsen abriu a conta pessoal de 2019 com à vontade, vestindo também a Camisola Amarela Águas do Algarve e a Camisola Vermelha Cofidis, símbolo da liderança na classificação por pontos. O holandês é também o dono da Camisola Branca 120 Anos da FPC, que premeia o melhor jovem da competição.
 
 
“É sensacional vencer aqui no Algarve. É minha primeira corrida do ano, depois de muito treino no Inverno e diante do primeiro sprint da época nunca se sabe como está a nossa condição. A equipa revelou estar a um nível muito elevado e conseguiram colocar-me na melhor posição para lançar o meu sprint. Para mim, foi o momento crucial da corrida. Fizemos aqui um estágio há algumas semanas, treinamos na região e fizemos o reconhecimento desta chegada a Lagos. Cumprimos o primeiro objetivo da nossa presença na Volta ao Algarve e vencemos a primeira etapa, agora, na chegada a Tavira, no próximo sprint, queremos novamente discutir a vitória. Os últimos quilómetros foram rápidos. Houve luta pela melhor posição, enfrentamos uma subida ligeira, mas algo difícil, e deu-se uma queda importante. Felizmente não fomos afetados e espero que os que caíram estejam recuperados para amanhã”, salienta homem do dia.
 
 
A Volta ao Algarve chega, nesta quinta-feira, a um dos momentos fulcrais, a tirada com final no alto da Fóia, Monchique, ao fim de 187,4 quilómetros, a percorrer desde Almodôvar, de onde a caravana parte às 12h10. A chegada, coincidente com um prémio de montanha de primeira categoria, está marcada para as 17h00.
 
Classificação da etapa e geral - 10 primeiros:

  1. Fabio Jakobsen, Hol (Deceuninck-Quick Step), 4:52.59 horas
  2. Arnaud Démare, Fra (Groupama-FDJ), m.t.
  3. Pascal Ackermann, Ale (BORA-Hansgrohe), m.t.
  4. Simone Consonni, Ita (UAE Team Emirates), m.t.
  5. Jasper de Buyst, Bel (Lotto Soudal), m.t.
  6. Soren Kragh Andersen, Din (Sunweb), m.t.
  7. Edward Theuns, Bel (Trek-Segafredo), m.t.
  8. Jon Aberasturi, Esp (Caja Rural-Seguros RGA), m.t.
  9. Christophe Laporte, Fra (Cofidis), m.t.
 10. Neilson Powless, EUA (Jumbo-Visma), m.t.

 

2ª Etapa: Almodôvar - Fóia (187.4 Kms)

 

O esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) é o novo comandante da Volta ao Algarve, graças ao triunfo na segunda etapa, que hoje ligou Almodôvar à Fóia, numa viagem de 187,4 quilómetros.


Os últimos 40 quilómetros da etapa foram espectaculares, com múltiplos ataques, mas foi a ofensiva de Pogacar, nas derradeiras centenas de metros, que decidiu a tirada. O vencedor da Volta a França do Futuro em 2018 triunfou perante o vento forte e gelado do ponto mais alto do Algarve, ao fim de 4h58m25s.


O grande favorito à conquista da Volta ao Algarve, o holandês Wouter Poels (Team Sky) foi o segundo a cruzar a meta, gastando mais 1 segundo do que Pogacar. O terceiro, a 3 segundos, foi o espanhol Enric Mas (Deceuninck-Quick Step), a 3 segundos do vencedor. A geral tem esta mesma ordenação, com iguais diferenças de tempo.


As movimentações mais sérias começaram na subida de segunda categoria para a Pomba, a 40 quilómetros do fim. Amaro Antunes e Riccardo Zoidl (CCC Team) isolaram-se e chegaram a ter dois minutos de vantagem sobre o pelotão. Em posição intermédia colocaram-se João Rodrigues e Raúl Alarcón (W52-FC Porto), Domingos Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA) e João Benta (Rádio Popular-Boavista).


Percebendo o perigo, a Team Sky e a Deceuninck-Quick Step impuseram um ritmo infernal no pelotão, acabando com a fuga dos dois homens da CCC Team a 16 quilómetros da chegada. A subida à Fóia fez-se segundo o ritmo de Tao Geogheghan Hart (Team Sky), que só largou a dianteira do grupo já perto do quilómetro final.


O algarvio Amaro Antunes voltou à carga e isolou-se nos derradeiros mil metros, mas Wouter Poels respondeu para tentar ganhar a etapa, sendo, no entanto, surpreendido pelo contra-ataque de Tadej Pogacar, que ficou dono de todas as camisolas, exceto da vermelha, ainda em posse de Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick Step).


A luta pela Camisola Amarela Turismo do Algarve está em aberto e o contrarrelógio desta sexta-feira, 20,3 quilómetros de esforço individual, em Lagoa, irá contribuir para definir melhor as candidaturas.


Tadej Pogacar, no comando, Wouter Poels, a 1 segundo, Enric Mas, a 3 segundos, Sam Oomen (Team Sunweb), a 5 segundos, e David de la Cruz (Team Sky), a 21 segundos, partem na dianteira. No entanto, os dotes de contrarrelogista do dinamarquês Soren Kragh Andersen (Team Sunweb), sexto, a 51 segundos, podem guindá-lo a uma posição mais favorável. Prejudicados pelo tempo perdido na queda da primeira etapa, os portugueses João Rodrigues (W52-FC Porto), sétimo, a 1m29s, e Amaro Antunes, oitavo, a 1m42s, estão um pouco mais afastados da perspetiva do pódio.


“Os meus colegas de equipa fizeram um excelente trabalho para me protegerem e na subida, no final, segui os ataques e nos últimos 100 metros, assumi o sprint e conseguir vencer. É a minha primeira vitória como profissional e conquistei-a aqui no Algarve. Amanhã é o contrarrelógio e todo o esforço dependerá de mim. Não sou um super especialista, mas darei o meu melhor e veremos como corre. A primeira estratégia da equipa era para o Fabio Aru, mas ontem ele perdeu tempo na queda, a equipa decidiu dar-me uma oportunidade para a classificação geral. Estou a fazer o meu melhor como ciclista profissional e daqui para a frente, espero que vejam mais de mim”, afirmou o jovem dono da camisola amarela.

 

Classificação da etapa:

 

1 Tadej Pogacar (UAE-Team Emirates) 04:58:25

2 Wout Poels (Team Sky) +01

3 Enric Mas (Deceuninck-Quick-Step) +03

4 Sam Oomen (Team Sunweb) +05

5 Amaro Antunes (CCC Team) +07

6 David De La Cruz (Team Sky) +21

7 João Rodrigues (W52 / FC Porto) +24

8 Simone Petilli (UAE-Team Emirates) +27

9 José Herrada (Cofidis, Solutions Crédito) +28

10 Michael Valgren (Team Dimension Data) +49

 

Classificação geral:


1. Tadej Pogacar (UAE-Team Emirates) 9:51:24
2. Wout Poels (Team Sky) +01
3. Enric Mas (Deceuninck-Quick-Step) +03
4. Sam Oomen (Team Sunweb) +5
5. David de la Cruz (Team Sky) +21

6. Soreh Kragh Andersen (Team Sunweb) +51

7. Joao Rodrigues (W52 / FC Porto) +1:29

8. Amaro Antunes (CCC Team) +1:42

9. Neilson Powless (Team Jumbo-Visma) +1:46

10. Marc Hirschi (Team Sunweb) m.t.

 

3ª Etapa: Lagoa - Lagoa (20.3 kms)

 

O suíço Stefan Küng (Groupama-FDJ) conquistou hoje a terceira etapa da Volta ao Algarve, um contrarrelógio de 20,3 quilómetros, em Lagoa. O esoloveno Tadej Pogačar (UAE Team Emirates) reforçou o comando da geral individual com o quinto posto na etapa.

A luta pela etapa foi emocionante, com os quatro primeiros a acabarem separados por menos de dez segundos. O campeão suíço de contrarrelógio, Stefan Küng foi o mais forte de todos, concluindo a exigente prova, num terreno ondulado, técnico e batido pelo vento, em 24m33s, à média de 49,613 km/h.

“Fiz este contrarrelógio na Volta ao Algarve do ano passado e isso deu-me alguma vantagem, pois conhecia o percurso e sabia onde fazer mais esforço. Tive um início algo conservador, mas, depois de estabelecer o meu ritmo, insisti e acabei por fazer a diferença no final. É a primeira corrida do ano e, por isso, é a primeira vez que nos comparamos com os outros. É uma altura de ajustes. Estou numa nova equipa e durante o Inverno trabalhamos bastante para ajustar todos os detalhes e por isso é muito positivo vencer neste primeiro teste”, explicou Stefan Küng.

O dinamarquês Søren Kragh Andersen (Team Sunweb) confirmou as expectativas de que estaria na discussão do contrarrelógio, conseguindo o segundo melhor tempo, apenas a 2 segundos do vencedor. O campeão belga de fundo, Yves Lampaert (Deceuninck-Quick Step) fechou o pódio da jornada, com mais 5 segundos do que o vencedor. A 8 segundos de Küng colocou-se o campeão irlandês de contrarrelógio, Ryan Müllen (Trek-Segafredo).

O esloveno Tadej Pogačar mostrou consistência para ser considerado o mais sério candidato à vitória na 45.ª Volta ao Algarve. Completou o contrarrelógio em 24m50s, no quinto posto, ganhando tempo a toda a concorrência direta na luta pela Camisola Amarela Turismo do Algarve.

Tadej Pogačar continua no topo da geral, mas agora com uma margem confortável de 31 segundos sobre Enric Mas (Deceuninck-Quick Step) e com 36 segundos à melhor sobre Søren Kragh Andersen, segundo e terceiro, respetivamente. A batalha pelo pódio prevê-se animada até às pedaladas finais, uma vez que há mais dois homens, ambos da Team Sky, a menos de um minuto do comandante, Wouter Poels, a 37 segundos, e David de la Cruz, a 57. Amaro Antunes (CCC Team), décimo da geral, a 2m43s, é o melhor português.

A Camisola Azul Águas do Algarve, de melhor trepador, e a Camisola Branca 120 Anos FPC, de melhor jovem, também são envergadas pelo esloveno Tadej Pogačar, de 20 anos.

“Estou muito satisfeito. Sentia-me confiante mas não esperava reforçar a liderança. Fiz um bom contrarrelógio, fui bem orientado no esforço pelo meu diretor desportivo e consegui um excelente resultado. Agora estou com a camisola amarela e com o apoio da minha equipa vamos tentar protegê-la até ao fim”, resumiu Tadej Pogačar.

O holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick Step) continua em posse da Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos. A Team Sunweb comanda por equipas.

A quarta etapa da Volta ao Algarve corre-se neste sábado. Prevê-se uma oportunidade para os sprinters, em Tavira, ao cabo dos 198,3 quilómetros, que se iniciam em Albufeira, às 12h00.

Rosa Mota pedala na Volta ao Algarve
O sábado velocipédico começa com a Volta ao Algarve Feminina, um passeio de 13 quilómetros, exclusivamente para mulheres, que se realiza em Albufeira, a partir das 9h30. A campeã olímpica Rosa Mota vai ser uma das participantes nesta iniciativa que tem como principal objetivo estimular a prática de atividade física pela população feminina. São esperadas cerca de cem participantes.

 

Classificação etapa:

1.    Stefan Küng (Groupama-FDJ), 24m33s

2.    Soren Kragh Andersen (Team Sunweb), 24m35s

3.    Yves Lampaert (Deceuninck-Quick Step), 24m38s

4.    Ryan Mullen (Trek-Segafredo), 24m41s

5.    Tadej Pogacar (UAE Team Emirates), 24m50s

6.    Arnaud Démare (Groupama-FDJ), 25m04s

7.    Mads Pedersen (Trek-Segafredo), 25m09s

8.    Tao Geoghegan Hart (Team Sky), 25m09s

9.    Nils Politt (Team Katusha Alpecin), 25m15s

10.  Zdenek Stybar (Deceuninck-Quick Step), 25m16s

 

Classificação geral:

1.    Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) 10:16:14

2.    Enric Mas (Deceuninck-Quick Step) +31

3.    Soren Kragh Andersen (Team Sunweb) +36

4.    Wout Poels (Team Sky) +37

5.    David de La Cruz (Team Sky) +57

6.    Sam Oomen (Team Sunweb) +1:08

7.    Zdenek Stybar (Deceunick-Quick Step) +2:12

8.    Neilson Powless (Team Jumbo-Visma) +2:13

9.    Marc Hirschi (Team Sunweb) +2:35

10.  Amaro Antunes (CCC Team) +2:43

 

4ª Etapa: Albufeira - Tavira (198.3 Kms)

 

O holandês Dylan Groenewegen (Team Jumbo-Visma) venceu hoje, com autoridade, a quarta etapa da Volta ao Algarve, que proporcionou à caravana dois imensos banhos de multidão, à partida, em Albufeira, e na chegada, em Tavira. O esloveno Tadej Pogačar (UAE Team Emirates) mantém a camisola amarela, embora tenha perdido 7 segundos num “corte” à chegada.
 
 
Os 198,3 quilómetros tiveram o esperado desfecho ao sprint, num final tenso, de grande dificuldade de colocação para os homens rápidos. Dylan Groenewegen atrasou-se devido a um problema mecânico, a cerca de 5 quilómetros da meta. Ajudado pela equipa, o holandês recolocou-se e triunfou pela segunda vez consecutiva na cidade do Gilão.
 
 
Dylan Groenewegen arrancou a 200 metros da meta e impôs-se com autoridade, com 4h56m07s. O francês Arnaud Démare (Groupama-FDJ) entrou mal colocado na reta da meta e fez um sprint de trás para a frente, pleno de força, acabando no segundo posto. O terceiro foi o jovem prodígio belga Jasper Philipsen (UAE Team Emirates).
 
 
“Na parte final tive alguns problemas mecânicos, mas a equipa trouxe-me rapidamente para a frente do pelotão. Os meus colegas foram excelentes no lançamento do sprint, foi um verdadeiro comboio preto e amarelo que vimos hoje aqui. Se fizermos o mesmo em todas as corridas acho que nos daremos muito bem. É sempre uma felicidade ganhar. Para um sprinter é importante obter vitórias e por isso estou bastante satisfeito. Senti-me muito forte no final, mas o mérito é da equipa que me posicionou muito bem. No primeiro dia tivemos azar mas hoje fizemos a diferença. Trabalhamos toda a etapa e estou muito orgulhoso. Gosto muito de correr no Algarve, tem sempre muito público e muitos holandeses, é uma corrida muito simpática”, afirmou Dylan Groenewegen.
 
 
Inesperadamente, a luta pela Camisola Amarela Turismo do Algarve também passou pela etapa de hoje. Mal colocado na chegada, o esloveno Tadej Pogačar foi apanhado no “corte” de 7 segundos, tal como o espanhol Enric Mas (Deceuninck-Quick Step). O jovem da UAE Team Emirates manteve o comando, mas viu o dinamarquês Søren Kragh Andersen (Team Sunweb) subir ao segundo lugar, reduzindo a diferença para 29 segundos. O terceiro é Wouter Poels (Team Sky), agora a 30 segundos. Enric Mas desceu para a quarta posição, a 31 segundos.
 
 
“Hoje foi um dia normal e a equipa [UAE Team Emirates] manteve tudo sob controlo. Estou bastante confiante e motivado. Somente mais tarde decidiremos a nossa estratégia, mas seguramente que iremos trabalhar e fazer tudo ao nosso alcance para defender a liderança. Amanhã enfrentaremos muitas subidas antes do final e cada quilómetro contará. Teremos que ser muito cuidadosos e estar atentos, mas o momento decisivo será a subida final”, antecipa Tadej Pogačar.
 
A etapa foi animada pela fuga Luís Fernandes (Aviludo-Louletano), Nikolay Mihaylov (Efapel), Jesús Nanclares (Miranda-Mortágua), Fábio Costa (UD Oliveirense/InOutBuild) e Oscar Pelegri (Vito-Feirense-PNB), que se deu ainda antes de dobrado o quilómetro dez.
 
A passividade do pelotão deixou os escapados conquistarem 6m25s de margem, mas a aproximação à meta ditou o fim da aventura, a 20 quilómetros da chegada. A tensão dos quilómetros finais foi ultrapassada sem acidentes e os milhares de espectadores tavirenses assistiram a um fenomenal sprint.
Tadej Pogačar parte para a jornada final em posse da Camisola Amarela Turismo do Algarve, de comandante da geral, da Camisola Azul Águas do Algarve, de rei dos trepadores, e da Camisola Branca 120 Anos da FPC, de melhor jovem. O francês Arnaud Démare é o dono da Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos. A Team Sunweb comanda por equipas.
 
A Volta ao Algarve termina neste domingo com a quinta etapa, uma ligação de 173,5 quilómetros, que começa em Faro, às 12h30, e termina no alto do Malhão, concelho de Loulé, cerca das 17h00, na segunda ascensão àquela mítica montanha do ciclismo português.
 
Algarve Granfondo Cofidis
Além da multidão esperada para apoiar os corredores no Malhão, domingo será também dia de um grande evento popular, o Algarve Granfondo Cofidis, que vai juntar 870 ciclistas amadores. Será uma prova aberta com partida e chegada em Loulé.
 
Esta iniciativa tem cariz solidário, uma vez que a Cofidis irá oferecer uma árvore por cada participante. Deste modo, serão oferecidas 870 árvores para ajudar a reflorestar a serra de Monchique, afetada pelos incêndios de 2018.
 
Volta ao Algarve inclusiva
A última etapa da Volta ao Algarve conta com uma demonstração de paraciclismo para cegos. Quatro deficientes visuais partem à frente do pelotão, em tandens. Um dos guias será o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira.
 
 

Classificação da etapa:

1. Dylan Groenewegen (Team Jumbo-Visma) 4:56:07

2. Arnaud Démare Groupama - FDJ m.t.

3. Jasper Philipsen UAE-Team Emirates m.t.

4. Pascal Ackermann BORA - hansgrohe m.t.

5. Simone ConsonnUAE-Team Emirates m.t.

6. Jasper de Buyst Lotto Soudal m.t.

7. Timothy Dupont Wanty - Groupe Gobert m.t.

8. Jens Debusschere Team Katusha - Alpecin m.t.

9. Mike Teunissen Team Jumbo-Visma m.t.

10. Jon Aberasturi Caja Rural - Seguros RGA m.t.

 

Classificação geral:

1.    Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) 10:16:14

2.    Soren Kragh Andersen (Team Sunweb) +29

3.    Wout Poels (Team Sky) +30

4.    Enric Mas (Deceuninck – Quick Step) +37

5.    David de La Cruz (Team Sky) +57

6.    Sam Oomen (Team Sunweb) +1:08

7.    Zdenek Stybar (Deceunick-Quick Step) +2:12

8.    Neilson Powless (Team Jumbo-Visma) +2:13

9.    Marc Hirschi (Team Sunweb) +2:35

10.  Amaro Antunes (CCC Team) +2:36

 

5ª Etapa: Faro - Alto do Malhão (173.5 Kms)

 

O esoloveno Tadej Pogačar (UAE Team Emirates) conquistou hoje a 45.ª Volta ao Algarve, resistindo a todos os ataques que sofreu na última etapa, uma ligação de 173,5 quilómetros, entre Faro e o alto do Malhão, ganha pelo checo Zdeněk Štybar (Deceuninck-Quick Step).
 
Os 40 quilómetros finais da etapa foram eletrizantes, plenos de emoção e de ataques consistentes, que valorizaram o triunfo final do esloveno de 20 anos. O dinamarquês Søren Kragh Andersen (Team Sunweb) partiu para a derradeira etapa na segunda posição, apenas a 29 segundos do comandante.
 
Após a primeira passagem no Malhão, em que a Team Sky e a Team Sunweb dizimaram o pelotão com um ritmo violento, Søren Kragh Andersen tentou apoderar-se da Camisola Amarela Turismo do Algarve. O corredor nórdico arrancou do grupo dos favoritos em plena subida para Vermelhos, a 22 quilómetros do final. Teve a companhia de Zdeněk Štybar, Stephen Cummings (Team DImension Data) e David de la Cruz (Team Sky), mas foi Søren Kragh Andersen a arcar com a maior parte do trabalho, que lhe permitiu entrar na última escalada ao Malhão com 1m20s de vantagem sobre o grupo dos candidatos.
 
A subida final deixou na frente apenas Søren Kragh Andersen e Zdeněk Štybar mas o mais interessante da corrida jogava-se atrás, onde os ataques se sucediam, assinados por gente como Amaro Antunes (CCC Team), Wouter Poels (Team Sky) ou Enric Mas (Deceuninck-Quick Step), aos quais Sam Oomen (Team Sunweb) ia respondendo como podia, em defesa de Kragh Andersen.
 
As movimentações dos favoritos tiveram o condão de aproximar o grupo de trás da cabeça de corrida. Demonstrando uma maturidade surpreendente para os 20 anos de idade, Tadej Pogačar não tremeu perante a ausência de companheiros de equipa nem foi ao choque perante as investidas rivais. O sangue-frio permitiu-lhe segurar a Camisola Amarela Turismo do Algarve, até porque o adversário mais perigoso, Søren Kragh Andersen pagou o preço da ousadia e claudicou em cabeça de corrida.
 
Zdeněk Štybar cortou a meta isolado, ao fim de 4h13m48s de uma etapa de montanha corrida à espantosa média de 41,017 km/h. Søren Kragh Andersen gastou mais 3 segundos e Wouter Poels, vindo de trás, ficou a 9 segundos.
 
“É o terceiro ano que ataco nesta etapa do Malhão. No ano passado estava igualmente em boa forma mas fiquei bloqueado nos últimos metros. Desta vez correu bem melhor, consegui vencer e isso, em termos de confiança, faz uma grande diferença. Este triunfo é a confirmação do trabalho no Inverno. A forma está lá, e agora espero aproveitá-la nas próximas corridas e estar bem na temporada das Clássicas”, frisou Štybar.
 
Tadej Pogačar foi o sexto, a 18 segundos, sucedendo a Michal Kwiatkowski como vencedor da Volta ao Algarve. O corredor da UAE Team Emirates é o segundo ciclista da Eslovénia a revelar-se ao mundo do ciclismo na corrida portuguesa, depois de Primož Roglič ter vencido em 2017.
 
O novo herói da Volta ao Algarve conquistou, assim, a primeira corrida ao serviço de uma equipa do WorldTour, gastando 19h26m34s para completar as cinco etapas. Søren Kragh Andersen foi o segundo, a 14 segundos, e o holandês Wouter Poels fechou o pódio, a 21 segundos.
 
“Quando cruzei o risco não sabia a diferença. Disseram-me que ganhara e não consigo descrever como me senti feliz. Obrigado à minha equipa por me ajudarem a vencer. Os meus colegas puxaram na frente do pelotão durante toda a etapa e não os queria desiludir. A etapa foi muito rápida e especialmente nervosa nos últimos 50 quilómetros. Foi difícil ser paciente e não responder diretamente aos ataques dos meus adversários na parte final, mas os meus colegas estavam fortes e depositei neles toda a minha confiança. Depois deste triunfo vou fazer um ‘reset’ e voltar a focar-me no que a equipa me pedirá. É espetacular repetir a vitória de Primož Roglič e tornar-me o segundo esloveno a vencer no Algarve. O ciclismo na Eslovénia está a crescer e certamente iremos ver mais eslovenos no WorldTour. Gostei de correr no Algarve. Esta vitória ficará na minha memória e espero regressar mais vezes”, declarou o vencedor.
 
Todas as classificações foram conquistadas pelas equipas WorldTour. Tadej Pogačar juntou classificação da juventude à geral individual, o campeão da Alemanha de fundo, Pascal Ackermann (Bora-hansgrohe) levou na bagagem a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos, e o belga Tim Declercq (Deceuninck-Quick Step) aproveitou a fuga de hoje, na qual foi um dos 13 elementos presentes, para tomar conta da Camisola Azul Águas do Algarve de melhor trepador. A Team Sky impôs-se coletivamente.
 

Classificação etapa 5:

 

1. Zdenek Stybar (Deceuninck - Quick Step) 4:13:48

2. Soren Kragh Andersen (Team Sunweb) +0:03

3. Wout Poels (Team Sky) +0:09

4. Enric Mas (Deceuninck - Quick Step) +0:12

5 Steve Cummings (Team Dimension Data) +0:16

6. Tadej Pogacar (UAE-Team Emirates) +0:18

7. João Rodrigues (W52 / FC Porto) +0:24

8. Sam Oomen (Team Sunweb) +0:30

9. Tao Geoghegan Hart (Team Sky) +0:31

10. Amaro Antunes (CCC Team) +0:34

 

Classificação final:

 

1. Tadej Pogacar (UAE-Emirates Team) 19:26:34

2. Soren Kragh Andersen (Team Sunweb) +00:14

3. Wout Poels (Team Sky) +00:21

4. Enric Mas (Deceuninck - Quick Step) +00:25

5. Sam Oomen (Team Sunweb) +1:40

6. Zdenek Stybar (Deceuninck - Quick Step) +1:54

7. Neilson Powless (Team Jumbo-Visma) +2:50

8. Amaro Antunes (CCC Team) +2:52

9. Rodrigues João (W52 / FC Porto) +3:27

10. Simon Spilak (Team Katusha - Alpecin) +3:47

 

Fonte: Volta ao Algarve

Calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728

anúncio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Facebook

Relógio

Google

Comentários recentes

Ofertas de Emprego - Faro

Google

Pesquisa

Custom Search