Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Calendário

Março 2008

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Google

Comentários recentes

  • Anónimo

    Horários e preços já muito desatualizados.E para a...

  • Tempo no Algarve

    Boa noite. Hoje já foi publicado os dados climatol...

  • Anónimo

    Bom dia, onde estão os dados climatológicos refere...

  • Anónimo

    Bom dia, gostaria que atualizassem os dados deste ...

  • Botas de Mulher

    Informação sem dúvida muito útil apar quem pretend...

Pesquisa

Custom Search

subscrever feeds

Mais sobre mim

06
Mar08

176: FARO: Casas nas ilhas ficam de pé, mas…

Tempo no Algarve
O presidente da Câmara de Faro, José Apolinário, garantiu que nenhuma casa será demolida nas ilhas-barreira, enquanto não existirem planos de pormenor.

Questionado sobre a demolição de "1.300 casas nos ilhotes e ilhas barreira" e a "renaturalização de 83 hectares de ilhotes e ilhas barreira", conforme se lê na proposta do Polis, o presidente da Câmara de Faro respondeu, na quarta-feira, que nenhuma casa será demolida enquanto não houver planos de pormenor.


À margem da Assembleia Municipal de Faro, adiada para hoje, o autarca José Apolinário explicou que sobre as demolições tinha de se "analisar caso a caso", argumentando que há casas legais em zonas de risco e casas ilegais em zonas seguras.


O autarca, contudo, não se cansou de repetir várias vezes ao longo da noite: "Faro tem de avançar".


"Faro tem de avançar como os outros municípios [Loulé, Tavira, Olhão que já aprovaram o programa Polis] e tem de avançar para a frente ribeirinha e respeitando os direitos das pessoas", declarou.


A Assembleia Municipal de Faro prevista para deliberar hoje sobre o programa "Polis Litoral Ria Formosa" foi adiada para quinta-feira por falta de espaço para receber centenas de moradores das ilhas barreira que quiseram participar na reunião.


As centenas de pessoas que se deslocaram ao salão nobre dos paços do Município de Faro foi-lhes comunicado, já passava das 22h00, que a sessão extraordinária da Assembleia Municipal ia ser adiada para quinta-feira, às 21h30, no Teatro Municipal de Faro, (Teatro das Figuras).


"Não temos condições para fazer a Assembleia Municipal, porque o espaço é pouco. Não vai ser esta noite mas vai ser já amanhã no Teatro Municipal de Faro", anunciou Luís Coelho, presidente da Assembleia Municipal, notícia que não agradou aos participantes e foi recebida debaixo de apupos e contestação.


Helena Santos, uma deputada eleita pelo PSD para a Assembleia da Junta de Freguesia de S. Pedro, chegou mesmo a questionar o autarca José Apolinário de como é que se arranja dinheiro para o Polis e ao mesmo tempo se deve dinheiro às Juntas de Freguesia daquele concelho.


"Desde 2007 que não recebemos dinheiro dos protocolos que estabelecemos com a Câmara, nem as associações, nem os clubes. Não sei onde é que foram agora buscar dinheiro", lançava Helena Santos, acusando a autarquia de ter "trocado as casas da Ilha de Faro pela marina internacional [prevista no Polis da Ria Formosa].


Cidália Argel, 63 anos, moradora na Ilha dos Hangares - Concelho de Faro mas mais próxima de Olhão - disse à Lusa viver naquela ilha há mais de 30 anos e que só sai da sua residência se lhe derem outra habitação mas tem que ser numa ilha.


"Venho hoje aqui na expectativa que não me deitem abaixo a minha casinha mas se a deitarem abaixo e me derem uma nova só se for também numa ilha", declarou, ameaçando que se lhe "deitarem a casa abaixo", vai "dormir numa tenda para cima do entulho".


No final de Fevereiro, o presidente da Câmara de Faro, José Apolinário, apresentou à comunicação social o novo programa Polis para a frente ribeirinha da capital algarvia e declarou então que em 2012 a cidade ganharia "uma nova imagem" virada para a Ria Formosa.


Com o lema "Faro - Viver Ria", o novo "Programa Polis Litoral Ria Formosa" terá a parceria com o Estado e mais três municípios algarvios além de Faro: Loulé, Olhão e Tavira.


O autarca acredita que, em cinco anos, os farenses vão ver requalificado o Parque Ribeirinho (investimento de 3,5 milhões de euros), o acesso à Praia de Faro (3,4 milhões de euros) e o Parque Ludo (junto à ria) (1,3 milhões de euros).


A construção de uma marina de nível internacional, a recuperação da zona lacustre e de moinhos de maré e criação de zonas de lazer e turismo são outros exemplos da mudança da frente ribeirinha em Faro.


A renaturalização da Ilha de Faro mas também de outros espaços marítimos nos Concelhos de Olhão, Loulé e Tavira está prevista no novo programa "Polis Litoral Ria Formosa", um plano estratégico de requalificação e valorização da Ria Formosa, cujo investimento total é superior a 80 milhões de euros e prevê a constituição de uma empresa de capitais sociais com a ParqueExpo.


 


Fonte: Observatório do Algarve


06
Mar08

175: Casas das ilhas-barreira dificultam protecção dunar e estão em risco de cair

Tempo no Algarve

O risco de ruir durante uma tempestade e magoar residentes e ainda o facto de dificultarem a protecção do cordão dunar são os principais problemas da existência de múltiplas casas que floresceram ilegalmente nas ilhas-barreira do Algarve.


Em declarações à Lusa, um especialista da Universidade do Algarve na área do risco costeiro e erosão alertou que há casas em risco de ruir na Praia de Faro, Farol, ou Fuseta se houver uma tempestade.

As casas dos pescadores da Praia de Faro, nomeadamente na zona poente, mas também habitações na Ilha da Fuseta (onde caíram algumas casas nas últimas tempestades) ou do Farol estão em zonas de risco de ruir por acção de intempéries e, por isso, Óscar Ferreira defende a renaturalização das ilhas-barreira, ou seja as demolições.

Óscar Ferreira alerta, contudo, que no caso das demolições das casas de primeiras habitações há questões sociais importantes que têm de ser tidas em conta.

Segundo aquele especialista em risco costeiro, a juntar ao perigo das casas caírem e magoarem os próprios habitantes, há ainda o facto das habitações, a maioria ilegal em domínio marítimo, "também inviabilizarem a tomada de medidas para robustecer o cordão dunar e proteger a zona costeira", defende Óscar Ferreira.

"A não existência das casas [nas ilhas barreira] poderá possibilitar num futuro próximo, através do próprio Polis, a colocação de paliçadas e recuperação dunar em áreas frágeis", defende o professor da Faculdade de Ciências do Mar e Ambiente.

Já nos anos oitenta, na zona nascente da Praia de Faro foi colocado um passadiço de madeira numa zona que era pejada de casas e hoje o cordão dunar está estabelecido e robusto, e nem se nota que existem lá casas, recorda o professor universitário.

A construção não autorizada que se verificou nas últimas décadas foi por vezes efectuada em zonas de risco costeiro, ou seja foram colocadas casas sobre a duna frontal, em áreas ameaçadas durante tempestades.

Actualmente é necessário o reordenamento dessas zonas que se encontram em risco costeiro por acção de intempéries para não colocar em risco o ambiente, mas igualmente a vida e casa dos moradores das Ilhas barreiras do Algarve.

A renaturalização da Ilha de Faro, mas também de outros espaços marítimos nos concelhos de Olhão, Loulé e Tavira está prevista no novo programa "Polis Litoral Ria Formosa", um plano estratégico de requalificação e valorização da ria Formosa, cujo investimento total é superior a 80 milhões de euros e prevê a constituição de uma empresa de capitais sociais.

A Assembleia Municipal de Faro delibera hoje sobre o "Polis Litoral Ria Formosa", mas muitos moradores disseram à Lusa desconhecerem o plano de requalificação e não sabem onde vão morar se as casas vierem abaixo.

Fonte do gabinete da presidência da Câmara de Faro assegurou que não haverá demolições enquanto não existirem os planos de pormenor (zona urbana) ou planos de intervenção (zona marítima) para as ilhas-barreira, referindo que cada núcleo habitacional das ilhas vai haver um plano e terá que existir discussão pública sobre esse plano.

A Parque Expo, empresa de capitais públicos, que irá gerir os fundos comunitários e coordenar as acções do programa Polis em Faro, Loulé, Tavira e Olhão não quer comentar para já o assunto do "Polis da Ria Formosa", porque ainda falta a Assembleia Municipal de Faro deliberar a adesão ao programa.

"Não fazemos comentários sobre o assunto", declarou à Lusa um dos assessores de imprensa da ParqueExpo, quando questionado sobre quais as prioridades do "Polis Ria Formosa".


 


Fonte: LUSA

06
Mar08

Ranking meteorológico do Algarve

Tempo no Algarve

Dia 5 de Março de 2008



Temperaturas Máximas:



1 - Tavira 17.9 ºC


2 - Faro (Aeroporto) 17.8 ºC


3 - Olhão 17.2 ºC


4 - Sagres 17.2 ºC


5 - São Brás de Alportel 14.1 ºC


6 - Monchique 8.9 ºC


 


Temperaturas mínimas:



1 - Monchique 2.7 ºC


2 - Sagres 5.4 ºC


3 - São Brás de Alportel 7.0 ºC


4 - Olhão 9.0 ºC


5 - Tavira 9.1 ºC


6 - Faro (Aeroporto) 10.5 ºC


 


Fontes: IM, INAG, CCVT 

Calendário

Março 2008

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Google

Comentários recentes

  • Anónimo

    Horários e preços já muito desatualizados.E para a...

  • Tempo no Algarve

    Boa noite. Hoje já foi publicado os dados climatol...

  • Anónimo

    Bom dia, onde estão os dados climatológicos refere...

  • Anónimo

    Bom dia, gostaria que atualizassem os dados deste ...

  • Botas de Mulher

    Informação sem dúvida muito útil apar quem pretend...

Pesquisa

Custom Search

subscrever feeds

Mais sobre mim