Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Tempo no Algarve

Estado do Tempo, Previsões, Alertas e Notícias sobre a Região Algarvia. E-mail: temponoalgarve@sapo.pt

Calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Google

Comentários recentes

  • Anónimo

    Horários e preços já muito desatualizados.E para a...

  • Tempo no Algarve

    Boa noite. Hoje já foi publicado os dados climatol...

  • Anónimo

    Bom dia, onde estão os dados climatológicos refere...

  • Anónimo

    Bom dia, gostaria que atualizassem os dados deste ...

  • Botas de Mulher

    Informação sem dúvida muito útil apar quem pretend...

Pesquisa

Custom Search

subscrever feeds

Mais sobre mim

06
Fev08

128: Almargem ameaça recorrer a Bruxelas para parar Quinta da Ombria

Tempo no Algarve

A associação ambientalista Almargem garantiu, esta quarta-feira, que envidará todos os esforços para parar o projecto turístico da Quinta da Ombria, aprovado pela Assembleia Municipal de Loulé no fim de Janeiro, beneficiando do período de transição para evitar as restrições do novo Plano Regional de Ordenamento do Território do Algarve (PROTAL).


 


Em comunicado, a associação louletana diz que o projecto, embora esteja previsto para as freguesias interiores de Loulé (Querença e Tôr), «não passa de uma cópia importada do litoral massificado» e que «implica enormes impactos sobre os valores naturais e paisagísticos» do Sítio Classificado da Fonte Benémola.

Os ambientalistas estão de tal forma inconformados com o facto de o projecto alegadamente violar directivas europeias de protecção do ambiente que chegam a ameaçar recorrer da aprovação junto do Comissão Europeia.

Comissão Europeia já tinha avisado Portugal

O projecto tem merecido, ao longo dos últimos anos, forte contestação das associações de defesa do ambiente regionais. O núcleo algarvio da Liga para a Protecção da Natureza chegou a apresentar uma queixa à Comissão Europeia, em 2004, por entender que constituía uma ameaça poluente do aquífero Querença-Silves, considerado estratégico para a região.

A Comissão deu início a um processo de infracção contra Portugal, por entender que poderia representar uma violação da directiva relativa à protecção das águas subterrâneas contra a poluição causada por certas substâncias perigosas.

Em Julho de 2006, chegou inclusive a ameaçar avançar para um processo judicial contra o Estado Português, caso o Estado Português aprovasse a construção do projecto.

A Almargem recorda que, de acordo com o plano de pormenor aprovado pela autarquia de Loulé, o empreendimento turístico promovido por empresários finlandeses pretende «ocupar áreas de elevada biodiversidade (matagais, sobreirais e azinhais) integradas no Sítio Natura 2000 - Barrocal, bem como áreas classificadas como REN e RAN [Reservas Ecológica e Agrícola Nacionais] e com uma ocupação prevista superior à actual população da freguesia de Querença (800 habitantes).

Uma das razões para a ameaça comunitária em 2006 foi precisamente o facto de o projecto não ter objecto de uma avaliação de impacto ambiental exaustiva, reforça a Almargem.

«Para além de ter subvalorizado a afectação de um Sítio de Interesse Comunitário para a conservação da natureza inserido na Rede Natura 2000 (Barrocal), o estudo minimiza o impacto directo do empreendimento sobre três habitats protegidos pelo direito comunitário e ignora ainda a poluição provocada pelo campo de golfe, violando assim a Directiva 80/68, relativa à protecção das águas subterrâneas», lê-se no documento difundido durante a manhã.

1700 novas camas duplicam população da freguesia

O empreendimento da Quinta da Ombria incide sobre 144 hectares de terrenos, pertencentes ao Sítio Barrocal da Rede Natura e ao lado do Sítio Classificado da Fonte Benémola. Para além de um campo de golfe e áreas de enquadramento paisagístico (64 hectares), inclui a construção de dois hotéis, 12 blocos de apartamentos, 35 moradias e respectivos acessos (41 hectares).

Segundo a Almargem, os espaços naturais ficam reduzidos às zonas de maior declive (38 hectares), existindo ainda uma área de um hectare destinada a agricultura biológica.

Ao todo, serão construídas 1700 novas camas turísticas, o que, na opinião da Almargem, «esgota totalmente a capacidade de acolhimento prevista no PDM de Loulé para aquela zona, inviabilizando qualquer futuro projecto turístico local, mesmo que de reduzida dimensão».

Daí que a associação entenda que o projecto «implica um aumento brutal da pressão humana sobre o território, duplicando, de um momento para o outro, a população residente no conjunto das duas freguesias (Querença e Tôr), sem contrapartidas consistentes no que respeita à melhoria das infra-estruturas locais e pondo em causa a segurança e a qualidade de vida do meio social envolvente».


 


Fonte: Barlavento Online

06
Fev08

127: UALG à procura do sol

Tempo no Algarve

Um grupo de cientistas fez, por acaso, uma descoberta com aplicação na área das energias renováveis. Entre eles estava Peter Stallinga, investigador da Universidade do Algarve (UALG).


 



A descoberta feita por uma equipa de cinco investigadores, liderada por Tom Gregorkiewicz (Universidade de Amesterdão - Holanda), abre as portas à possibilidade de rentabilizar em 50 por cento a energia captada por painéis solares.


“A aplicação, de repente, virou de telecomunicações para painéis solares e energias renováveis”, conta ao Observatório do Algarve Peter Stallinga, que admite tratar-se de uma grande oportunidade.


Por enquanto, não existem produtos da investigação, trata-se apenas de um fenómeno físico, descoberto por acaso, enquanto a equipa investigava as potencialidades dos nanocristais para activar o elemento químico érbio (Er), no âmbito de um projecto na área das telecomunicações.


Na altura, verificaram que os nanocristais atravessam os fotões de alta-energia (ultra-violetas) e dividem-nos em dois fotões de baixa energia. Além disso, estes fotões entram por um lado e parte da energia sai por outro.


Assim, separando os fotões mais energéticos no espaço é possível converter uma maior percentagem de energia em electricidade, através de painéis solares, do que se converteria antes da divisão.



Apresentar projectos para avançar com a investigação


“Ainda não temos um plano de trabalho porque é tudo totalmente novo. Ninguém estava à espera disto”, refere Peter Stallinga. O passo seguinte é submeter projectos de investigação a pedidos de financiamento, que podem ser da União Europeia, da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) em Portugal, ou na Holanda.


A concretizar-se o pedido de financiamento a investigação vai realizar-se em várias áreas, cabendo ao CEOT – Centro de Electrónica, Optoelectrónica e Telecomunicações, da Universidade do Algarve, a caracterização eléctrica.


Os investigadores vão estar divididos em equipas consoante os projectos em curso. “Uma parte vai fabricar os dispositivos, outra faz as medições ópticas, outra faz a modelação das medições, outra parte faz a caracterização eléctrica, que é o nosso caso, depois juntam-se os resultados. Isto é como funciona hoje em dia a investigação”, explica Peter Stallinga.


No CEOT existem dois investigadores com conhecimentos para avançar com investigação nesta área, um é Peter Stallinga e o outro Henrique Gomes, ambos interessados em contribuir.



O que significa a descoberta?


Em teoria, os painéis solares podem aproveitar 30 por cento da energia que recebem do sol todavia, o que se verifica na prática é que apenas se aproveita 10 por cento dessa energia.


A nova teoria agora avançada, sugere que se possa aproveitar 45 por cento dessa energia, cabendo agora aos investigadores comprovar se é possível atingir essa meta, sendo que os resultados tanto podem mostrar uma rentabilização de zero por cento como de 50 por cento: “a investigação é necessária para saber se funciona ou não”, conclui Peter Stallinga.


A verificar-se, esta rentabilização de uma energia que é renovável pode constituir uma mais valia na diminuição de gases com efeito de estufa e, consequentemente, tornar-se mais uma pequena arma contra o fenómeno do aquecimento global.


Os resultados iniciais alcançados em Amesterdão vão ser publicados na edição de Fevereiro da revista Nature Photonics, juntamente com uma entrevista ao líder do projecto, merecendo ainda um destaque na revista Nature, publicações conceituadas no meio científico.


 


Fonte: Observatório do Algarve


06
Fev08

126: Previsão de 6 de Fevereiro a 10 de Fevereiro de 2008

Tempo no Algarve

Esta semana, o céu vai apresentar-se pouco nublado ou limpo, com períodos de maior nebulosidade a partir de Sábado à tarde, sem ocorrência de precipitação. O vento será do quadrante sueste soprando moderado e que  será forte a partir de 5ª feira e com rajadas até 70km/h a 80 km/h no fim de semana, a temperatura máxima tende a subir, enquanto a temperatura mínima tende a descer.


 


Estado do mar: Ondas de sueste de 1 a 2 metros, no fim-de-semana pode aumentar para 2 a 3,5 metros.


Temperatura da água do mar: 17ºC - 18ºC


 


Máximas: 17ºC - 19ºC


mínimas: 6ºC - 10ºC


Precipitação: 0 mm

Calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Google

Comentários recentes

  • Anónimo

    Horários e preços já muito desatualizados.E para a...

  • Tempo no Algarve

    Boa noite. Hoje já foi publicado os dados climatol...

  • Anónimo

    Bom dia, onde estão os dados climatológicos refere...

  • Anónimo

    Bom dia, gostaria que atualizassem os dados deste ...

  • Botas de Mulher

    Informação sem dúvida muito útil apar quem pretend...

Pesquisa

Custom Search

subscrever feeds

Mais sobre mim